icons.title signature.placeholder Daniel Bortoletto
02/02/2015
08:01

O cartão de visita do Carioca, em 2015, foi o vestiário do Macaé invadido por torcedores de uma facção da torcida do Flamengo antes de a bola rolar. Ricardo Berna agredido e com curativo no queixo, produtos saqueados e muita reclamação. Nem o roteirista mais cruel poderia prever início tão melancólico para um campeonato que já vinha sendo sacudido por baixaria nos bastidores.

Não gostaria de escrever isso, mas a sensação é de que o Estadual vai morrendo ano após ano. Sufocado, vai respirando com ajuda da tradição. Clubes e Ferj têm culpa no cartório. Os “filiados”, atolados em dívidas e reféns da gorda bolada que a TV paga, raramente se levantam como insurgentes (será que em 2015 será diferente?). São co-responsáveis e coniventes em vários pontos. Com mão de ferro, a federação local, que ganha aliados ao inflacionar o número de participantes do torneio, sufoca qualquer movimento contrário. Mas não consegue colocar em prática medidas que valorizem o seu o principal produto.

Paulo Victor deixa o gramado sangrando em Macaé (Foto: Cleber Mendes)

São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul têm jogos entre pequenos transmitidos pelo pay-per-view. São Bento x Linense; São José x Avenida; Caldense x Mamoré, exemplos deste fim de semana. O Rio não. Não vimos e não veremos duelos que não tenham os quatro grandes envolvidos. E não venham culpar apenas a TV pela falta de transmissão.

Falta estrutura nos estádios, alguns até sem iluminação. Sobram gramados esburacados. Que se dane o profissional que arrisca se machucar no primeiro jogo da temporada.

Não à toa tivemos baixo nível técnico em quase todos os jogos da primeira rodada. No sábado, nenhum dos dez times em campo  conseguiu fazer mais de um gol por partida (Botafogo 1 x 0 Boavista; Resende 1 x 0 Bonsucesso; Bangu 1 x 1 Madureira; Barra Mansa 0 x 1 Volta Redonda; Macaé 1 x 1 Flamengo). Placares magros, pálidos como o campeonato. Ontem, o Vasco encerrou a escrita, fazendo 2 a 0 na Cabofriense, com o Flu repetindo a dose diante do Friburguense (2 a 1), com Tigres e Nova Iguaçu empatando em 1 a 1. Que venham mudanças e rodadas melhores!