icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
20/04/2014
12:36

O suiço Stanislas Wawrinka vem tendo um ano dos sonhos. Após conquistar pela primeira vez um título de Grand Slam com a vitória no Aberto da Austrália, Wawrinka desbanca seu compatriota, Roger Federer, número 4 do mundo, e assegura o título do Masters 1.000 de Monte Carlo, com a vitória por 2 sets a 1, de virada, com parciais de 4-6, 7-6 (7-5) e 6-2, em 2h13 de jogo. Além do título, Wawrinka mantém a terceira posição no ranking mundial, que ficou em xeque, caso Federer conquistasse o título em Mônaco.

No primeiro set, todos os games foram bem disputados, com vantagem à Federer que, com uma quebra no quinto game, abriu 3 a 2 no placar e carregou o bom momento até o final da parcial, fechada em 6 a 4. Wawrinka não conseguiu encontrar seu jogo e, pecando em seus melhores atributos (o saque e o forte backhand), deu chances para que Federer, mais seguro, vencesse o set, em 42 minutos de jogo.

No segundo, Wawrinka voltou mais atento, acelerando mais a partida e "jogando" Federer de um lado para o outro da quadra, chegando a uma quebra, no segundo game da parcial e vendo Federer devolvê-la no game seguinte. Na parcial, a chuva chegou a interromper os atletas por alguns minutos, mas eles decidiram voltar e, ao que parece, desligados do jogo.

Os games se estendiam nos erros de ambos os tenistas, que perdiam bolas fáceis em momentos cruciais do jogo. Até que o set foi ao tiebreak, onde Wawrinka começou melhor, com um mini break em dois erros de Federer, abrindo 4 a 1 e estendendo essa diferença para três set points de vantagem e fechar a parcial em 7 a 6 com 7-5 no break, com 58 minutos e 28 erros dos tenistas.

O terceiro set começou com Wawrinka melhor e Federer nervoso. No primeiro game, Wawrinka conquistou uma quebra e, no segundo, após um erro, Federer chegou a gritar consigo mesmo, demonstrando a insatisfação com seu jogo, que decaiu desde a parada pela chuva. E ficou ainda pior quando cedeu a segunda quebra no terceiro game.

Wawrinka cresceu na partida e, aproveitando-se dos erros de Federrer, conseguiu chegar a 6 a 2 no último set e se sagrar campeão do Masters 1.000 de Monte Carlo. Pela primeira vez na carreira, o suiço conquista um título de Masters.