icons.title signature.placeholder Felippe Rocha
19/04/2014
08:10

Há exatos vinte anos, Luciana Gabino perdia seu marido, o meia Dener, e ganhava uma enorme dor de cabeça. O imbróglio judicial entre a Portuguesa e o Vasco durou mais de uma década e, mesmo após a sentença do juiz e o início do pagamento do que era devido à família, a paz durou pouco. Os pagamentos das parcelas determinadas cessaram e, diante do não cumprimento do acordo por parte do Vasco com Luciana, o escritório que a representa pediu a penhora dos bens direcionados ao Vasco no próximo Campeonato Brasileiro.

- Entramos com o pedido de penhora, mas eles alegam que tem que pagar aluguel de estádio. Estamos esperando a tabela definitiva, por causa das ações que estão correndo. Nós entendemos a situação do clube, mas várias parcelas atrasaram - afirmou o advogado Renato Lima Menezes.

O advogado lembra também que o escritório fez visitas a São Januário, aos presidentes de cada mandato, e tentou de várias formas regularizar as pendências. Mas chegou um ponto em que a escolha era entre receber parcelas menores ou não receber.

- Já faz mais de um ano e meio que não pagam. Fomos em São Januário várias vezes, mantivemos contato por telefone, emitimos notificações... o próprio (Roberto) Dinamite tinha uma postura diferente como candidato (a presidente do clube), quando queria saber como andava o pagamento. Depois que ele entrou, nos decepcionou - afirma.