icons.title signature.placeholder Thiago Fernandes
icons.title signature.placeholder Thiago Fernandes
08/07/2013
07:30

Com apenas vinte anos, Vinícius Araújo tem a responsabilidade de um veterano. O jovem assume a função de centroavante titular do Cruzeiro e precisa fazer gols para permanecer com a vaga. Ele, portanto, espera repetir o que fez pela Seleção Brasileira sub-20, entre maio e junho deste ano, quando se sagrou artilheiro da equipe em dois torneios consecutivos.

– A ida para a Seleção Brasileira sub-20 me ajudou muito, amadureci bastante. O professor (Gallo) falou conosco que, quando passamos pela Seleção, temos que absorver alguma coisa. Voltei para o Cruzeiro com a cabeça mais tranquila, um jogador diferente – analisou.

Apesar do desejo de se manter entre os titulares, o atacante enfrenta a forte concorrência na posição. Anselmo Ramon e Borges são os seus principais oponentes por um lugar na equipe. Esta situação, porém, não intimida a jovem revelação.

Em entrevista exclusiva ao LANCE!Net, Vinícius Araújo comentou o período que está entre os profissionais – cerca de seis meses –, traçou a sua meta para a temporada, falou sobre a importância do técnico Marcelo Oliveira neste início de sua trajetória pelo Cruzeiro e muito mais. Confira, abaixo, a entrevista do atleta na íntegra:

LANCE!Net: Qual a sua meta para o ano?
Eu tinha o objetivo de chegar à Seleção Brasileira no começo do ano e alcancei. Agora, no Cruzeiro, tenho a meta de me tornar titular. Sei que a concorrência é muito grande, mas vou buscar meu espaço no dia-dia. Vou aproveitar da melhor maneira possível as oportunidades que eu tiver. A meta não é nem referente a gol, mas, sim, buscar a titularidade. A suposta camisa 9 do Cruzeiro pode ser minha.

LANCE!Net: A concorrência com Borges e Anselmo Ramon lhe intimida?
O Borges é um excelente jogador, foi artilheiro de tudo o que disputou. É um ótimo centroavante, como o Anselmo Ramon, outro grande jogador. Mas eu estou procurando o meu espaço a cada dia, me dedicando ao máximo nos treinamentos. Eu acho que é ali que nós ganhamos a posição de titular. O Marcelo (Oliveira) está observando tudo isso.

LANCE!Net: A convocação para a Seleção Brasileira sub-20 lhe beneficiou em que sentido?
A ida para a Seleção Brasileira sub-20 me ajudou muito, amadureci bastante. O professor (Gallo) falou conosco que, quando passamos pela Seleção, temos que absorver alguma coisa. Voltei para o Cruzeiro com a cabeça mais tranquila, um jogador diferente. Um dos problemas que enfrentei quando estava aqui é o fato de a bola não chegar ao meu pé. Agora, eu estou saindo para buscar a bola, fazer tabela. Então, eu estou tranquilo e acho que estou preparado para o momento que professor Marcelo precisar de mim.

LANCE!Net: A movimentação fora da área é uma iniciativa sua ou do Marcelo Oliveira?
O Marcelo fala que as características minhas, do Anselmo e do Borges são diferentes. Ele fala que o Borges é um cara mais parado, joga dentro da área, um centroavante mesmo. O Anselmo faz melhor o pivô. Por eu ser um jogador jovem, eu tenho facilidade de movimentação, sou um jogador mais leve, posso sair da área. O problema que tive foi que os meias não estavam criando as jogadas. Centroavante é muito cobrado em um clube do patamar do Cruzeiro. Como a bola não chegava, não podia fazer nada. Centroavante vive do gol. Comecei a ver que, se eu saísse um pouco mais, a bola passaria mais no meu pé e poderia finalizar mais de fora da área. Foi uma iniciativa minha, comecei a me movimentar mais na intermediária, para não ficar preso nos zagueiros. O centroavante moderno não pode ficar muito parado, porque fica mais fácil de surpreender a zaga.

LANCE!Net: Antes da viagem para os Estados Unidos, você era o mais distante da titularidade. Hoje é o centroavante da equipe. Qual foi a importância desta intertemporada?
A gente vai ganhando a titularidade nos treinamentos. Infelizmente, quando a gente tem alguma lesão, a gente precisa de um grupo do mesmo patamar, que possa manter o ritmo. Estou brigando com o Anselmo Ramon e estou trabalhando forte para quando o Marcelo precisar de mim eu esteja pronto para ajudar ele e também o Cruzeiro. Sabia que estava indo para a Seleção e seria algo que poderia abrir ainda mais as portas para mim dentro do clube. Pude fazer um bom trabalho e voltar como artilheiro. Essa é a minha função. Quando eu voltei, houve essa mudança. A viagem para os Estados Unidos não foi boa só por isso. O grupo se conheceu melhor também, o grupo ficou mais unido. Eu pude mostrar para o Marcelo que estou pronto para quando ele precisar contar comigo.

LANCE!Net: Qual o peso de jogar pelo Cruzeiro?
Eu fico tranquilo, mas ao mesmo tempo, sei que a cobrança é grande. Vejo com naturalidade. Estou me dedicando ao máximo. Estou me esforçando e sei que é tudo fruto do trabalho. Tenho certeza que vou agarrar a oportunidade com unhas e dentes. Estou preparado. A gente fica falando muito em gol às vezes, mas se eles não vierem, vou dar assistências. A cabeça está tranquila. Se Deus quiser, vou fazer um bom papel e ajudar o Cruzeiro.

Vinícius Araújo é o substituto imediato de Borges no Cruzeiro (Foto: Washington Alves/VIPCOMM)

LANCE!Net: Desde que chegou ao profissional do Cruzeiro, este é o auge de sua maturidade?
Tenho muito a amadurecer. Sou menino novo e posso crescer bastante. Procuro pegar os exemplos de Fábio, Ceará, jogadores que são mais experientes e já passaram muita coisa no futebol. Fico observando o que eles falam e fazem para buscar melhorar. Vou amadurecer bastante ainda. Foi muito boa a ida para a Seleção sub-20. Eu já voltei diferente dentro de fora de campo. Tenho que seguir trabalhando, porque as coisa vão melhorar aos poucos.

LANCE!Net: Qual a relevância do Marcelo para os atletas da base?
Quando eu subi para o profissional, todo mundo falava que o Marcelo gosta de trabalhar com jogadores jovens e dá oportunidade para aqueles que são oriundos da base. A gente sabia, porém, que precisava dar vontade. Não adianta ele trabalhar com atletas jovens e não darmos retorno dentro de campo. O Mayke e o Élber estão dando conta do recado. Estamos nos dedicando ao máximo. Chegamos de igual para igual com todos os atletas. Mostramos tanto o retorno que o Marcelo está nos usando cada vez mais.

LANCE!Net: Qual a sua avaliação do elenco do Cruzeiro, formado no início do ano?
É um elenco novo, formado em apenas seis meses, mas é um elenco muito forte. A gente tem tudo para fazer um ano maravilhoso. O Cruzeiro vai entrar para ganhar os campeonatos. O grupo está muito bom e unido. Estamos cada vez mais fortes, com grandes jogadores. Nunca está do jeito que o Marcelo deseja, mas temos total condição de ser campeão brasileiro. Uma amostra disso foi a vitória sobre o Corinthians, atual campeão mundial. Se continuarmos trabalhando com foco, esse grupo tem tudo para fazer um ano maravilhoso no Cruzeiro.

LANCE!Net: Tem preferência entre Copa do Brasil e Brasileiro?
Se puder, eu quero ganhar os dois (risos). Mas se fosse para escolher um, tenho o sonho de ganhar o Campeonato Brasileiro. Se isso acontecer no meu primeiro ano como profissional, realizarei um dos maiores sonhos da minha vida. É um campeonato muito difícil, o mais disputado do mundo, com as melhores equipes.

LANCE!Net: O que a torcida pode esperar do Vinícius em 2013?
Eu quero agradecer pelo carinho que os torcedores têm comigo. Sei que eles têm um carinho diferente por quem é formado no clube. Vou me dedicar bastante nos jogos e vou me esforçar muito nos treinamentos. Se Deus quiser, vou fazer muitos gols para que eles possam vibrar nas arquibancadas.

Com apenas vinte anos, Vinícius Araújo tem a responsabilidade de um veterano. O jovem assume a função de centroavante titular do Cruzeiro e precisa fazer gols para permanecer com a vaga. Ele, portanto, espera repetir o que fez pela Seleção Brasileira sub-20, entre maio e junho deste ano, quando se sagrou artilheiro da equipe em dois torneios consecutivos.

– A ida para a Seleção Brasileira sub-20 me ajudou muito, amadureci bastante. O professor (Gallo) falou conosco que, quando passamos pela Seleção, temos que absorver alguma coisa. Voltei para o Cruzeiro com a cabeça mais tranquila, um jogador diferente – analisou.

Apesar do desejo de se manter entre os titulares, o atacante enfrenta a forte concorrência na posição. Anselmo Ramon e Borges são os seus principais oponentes por um lugar na equipe. Esta situação, porém, não intimida a jovem revelação.

Em entrevista exclusiva ao LANCE!Net, Vinícius Araújo comentou o período que está entre os profissionais – cerca de seis meses –, traçou a sua meta para a temporada, falou sobre a importância do técnico Marcelo Oliveira neste início de sua trajetória pelo Cruzeiro e muito mais. Confira, abaixo, a entrevista do atleta na íntegra:

LANCE!Net: Qual a sua meta para o ano?
Eu tinha o objetivo de chegar à Seleção Brasileira no começo do ano e alcancei. Agora, no Cruzeiro, tenho a meta de me tornar titular. Sei que a concorrência é muito grande, mas vou buscar meu espaço no dia-dia. Vou aproveitar da melhor maneira possível as oportunidades que eu tiver. A meta não é nem referente a gol, mas, sim, buscar a titularidade. A suposta camisa 9 do Cruzeiro pode ser minha.

LANCE!Net: A concorrência com Borges e Anselmo Ramon lhe intimida?
O Borges é um excelente jogador, foi artilheiro de tudo o que disputou. É um ótimo centroavante, como o Anselmo Ramon, outro grande jogador. Mas eu estou procurando o meu espaço a cada dia, me dedicando ao máximo nos treinamentos. Eu acho que é ali que nós ganhamos a posição de titular. O Marcelo (Oliveira) está observando tudo isso.

LANCE!Net: A convocação para a Seleção Brasileira sub-20 lhe beneficiou em que sentido?
A ida para a Seleção Brasileira sub-20 me ajudou muito, amadureci bastante. O professor (Gallo) falou conosco que, quando passamos pela Seleção, temos que absorver alguma coisa. Voltei para o Cruzeiro com a cabeça mais tranquila, um jogador diferente. Um dos problemas que enfrentei quando estava aqui é o fato de a bola não chegar ao meu pé. Agora, eu estou saindo para buscar a bola, fazer tabela. Então, eu estou tranquilo e acho que estou preparado para o momento que professor Marcelo precisar de mim.

LANCE!Net: A movimentação fora da área é uma iniciativa sua ou do Marcelo Oliveira?
O Marcelo fala que as características minhas, do Anselmo e do Borges são diferentes. Ele fala que o Borges é um cara mais parado, joga dentro da área, um centroavante mesmo. O Anselmo faz melhor o pivô. Por eu ser um jogador jovem, eu tenho facilidade de movimentação, sou um jogador mais leve, posso sair da área. O problema que tive foi que os meias não estavam criando as jogadas. Centroavante é muito cobrado em um clube do patamar do Cruzeiro. Como a bola não chegava, não podia fazer nada. Centroavante vive do gol. Comecei a ver que, se eu saísse um pouco mais, a bola passaria mais no meu pé e poderia finalizar mais de fora da área. Foi uma iniciativa minha, comecei a me movimentar mais na intermediária, para não ficar preso nos zagueiros. O centroavante moderno não pode ficar muito parado, porque fica mais fácil de surpreender a zaga.

LANCE!Net: Antes da viagem para os Estados Unidos, você era o mais distante da titularidade. Hoje é o centroavante da equipe. Qual foi a importância desta intertemporada?
A gente vai ganhando a titularidade nos treinamentos. Infelizmente, quando a gente tem alguma lesão, a gente precisa de um grupo do mesmo patamar, que possa manter o ritmo. Estou brigando com o Anselmo Ramon e estou trabalhando forte para quando o Marcelo precisar de mim eu esteja pronto para ajudar ele e também o Cruzeiro. Sabia que estava indo para a Seleção e seria algo que poderia abrir ainda mais as portas para mim dentro do clube. Pude fazer um bom trabalho e voltar como artilheiro. Essa é a minha função. Quando eu voltei, houve essa mudança. A viagem para os Estados Unidos não foi boa só por isso. O grupo se conheceu melhor também, o grupo ficou mais unido. Eu pude mostrar para o Marcelo que estou pronto para quando ele precisar contar comigo.

LANCE!Net: Qual o peso de jogar pelo Cruzeiro?
Eu fico tranquilo, mas ao mesmo tempo, sei que a cobrança é grande. Vejo com naturalidade. Estou me dedicando ao máximo. Estou me esforçando e sei que é tudo fruto do trabalho. Tenho certeza que vou agarrar a oportunidade com unhas e dentes. Estou preparado. A gente fica falando muito em gol às vezes, mas se eles não vierem, vou dar assistências. A cabeça está tranquila. Se Deus quiser, vou fazer um bom papel e ajudar o Cruzeiro.

Vinícius Araújo é o substituto imediato de Borges no Cruzeiro (Foto: Washington Alves/VIPCOMM)

LANCE!Net: Desde que chegou ao profissional do Cruzeiro, este é o auge de sua maturidade?
Tenho muito a amadurecer. Sou menino novo e posso crescer bastante. Procuro pegar os exemplos de Fábio, Ceará, jogadores que são mais experientes e já passaram muita coisa no futebol. Fico observando o que eles falam e fazem para buscar melhorar. Vou amadurecer bastante ainda. Foi muito boa a ida para a Seleção sub-20. Eu já voltei diferente dentro de fora de campo. Tenho que seguir trabalhando, porque as coisa vão melhorar aos poucos.

LANCE!Net: Qual a relevância do Marcelo para os atletas da base?
Quando eu subi para o profissional, todo mundo falava que o Marcelo gosta de trabalhar com jogadores jovens e dá oportunidade para aqueles que são oriundos da base. A gente sabia, porém, que precisava dar vontade. Não adianta ele trabalhar com atletas jovens e não darmos retorno dentro de campo. O Mayke e o Élber estão dando conta do recado. Estamos nos dedicando ao máximo. Chegamos de igual para igual com todos os atletas. Mostramos tanto o retorno que o Marcelo está nos usando cada vez mais.

LANCE!Net: Qual a sua avaliação do elenco do Cruzeiro, formado no início do ano?
É um elenco novo, formado em apenas seis meses, mas é um elenco muito forte. A gente tem tudo para fazer um ano maravilhoso. O Cruzeiro vai entrar para ganhar os campeonatos. O grupo está muito bom e unido. Estamos cada vez mais fortes, com grandes jogadores. Nunca está do jeito que o Marcelo deseja, mas temos total condição de ser campeão brasileiro. Uma amostra disso foi a vitória sobre o Corinthians, atual campeão mundial. Se continuarmos trabalhando com foco, esse grupo tem tudo para fazer um ano maravilhoso no Cruzeiro.

LANCE!Net: Tem preferência entre Copa do Brasil e Brasileiro?
Se puder, eu quero ganhar os dois (risos). Mas se fosse para escolher um, tenho o sonho de ganhar o Campeonato Brasileiro. Se isso acontecer no meu primeiro ano como profissional, realizarei um dos maiores sonhos da minha vida. É um campeonato muito difícil, o mais disputado do mundo, com as melhores equipes.

LANCE!Net: O que a torcida pode esperar do Vinícius em 2013?
Eu quero agradecer pelo carinho que os torcedores têm comigo. Sei que eles têm um carinho diferente por quem é formado no clube. Vou me dedicar bastante nos jogos e vou me esforçar muito nos treinamentos. Se Deus quiser, vou fazer muitos gols para que eles possam vibrar nas arquibancadas.