icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/06/2014
16:42


Jordan Tie saiu há cinco anos da Guiné Bissau para estudar em Brasília e aproveitou a Copa no Brasil para extravasar todo o sentimento nacionalista contra Portugal, que colonizou o seu país. Ele explicou o motivo de sua torcida contra Cristiano Ronaldo & cia. enquanto se dirigia ao Estádio Nacional Mané Garrincha para assistir à partida entre a seleção portuguesa e Gana.

- Portugal destruiu o meu país. Vou torcer contra eles e fazer muita festa pela eliminação - contou Jordan.

Até 1973 Guiné Bissau ainda era uma colônia portuguesa. Atualmente, o país está sob uma ditadura militar, instalada em abril de 2012.

Mas Jordan afirmou que suas preocupações políticas podem conviver com a alegria de uma partida de futebol. E até por isso, ele não foi sozinho ao Mané Garrincha.

Para torcer contra Portugal, Jordan convocou quatro amigos: Cristel, Ted, Morgan e Kevin. Só que os parceiros, também estudantes, não são de Guiné Bissau, mas do Congo, país africano colonizado pela França e que também é conhecido por sua pobreza.

Os cincos africanos chamaram a atenção por onde passavam por causa de sua alegria. Com apitos, cânticos e danças, confraternizaram-se com torcedores de várias nações: brasileiros, colombianos, americanos e até portugueses.

- Temos de aproveitar a chance. Estamos alegres e vamos torcer para Gana. Gana! Gana! Gana! - gritava Jordan.

Se por um lado eles não puderam festejar a vitória de Gana, por outro saíram felizes pela não-classificação portuguesa. Apesar de bater Gana por 2 a 1, Portugal foi eliminada pelos EUA no saldo de gols.