icons.title signature.placeholder Enrico Bruno
29/04/2014
19:00

Titular absoluto do gol atleticano, Victor é um dos poucos jogadores que tem se destacado no questionado time do Atlético-MG. Com ótimas atuações, o camisa 1 vem salvando a equipe mineira nesse primeiro semestre do ano, o que o faz permanecer como um dos postulantes ao seleto grupo de Luis Felipe Scolari para a Copa do Mundo.

O bom rendimento abaixo das traves, no entanto, serve como fator motivador para o goleiro continuar trabalho firme, mas sem empolgar com a possibilidade cada vez maior de ser convocado.

MAIS:
> Técnico Osorio relaciona 22 jogadores para pegar o Atlético-MG
> Em seu primeiro treino em Vespasiano, Levir comanda coletivo sem Tardelli

- Eu trabalho com naturalidade, a gente se prepara bastante e o trabalho vem sendo bem feito, com regularidade. Isso te condiciona ao posto de seleção. A ansiedade é normal, mas não pode ser exagerada - comentou o goleiro, relembrando a última Copa do Mundo, em que o goleiro alimentou chances de ser convovado por Dunga, mas ficou de fora na lista final para a Africa do Sul:

- Em 2010, todos davam certo a minha convocação que não aconteceu. A ansiedade é proporcional a frustração que cria. Espero estar na lista do dia 7 de maio, mas sigo sempre com naturalidade, cabeça fria e mantendo o foco no Atlético-MG - completou.

No último Mundial, Victor, ainda no Grêmio, esteve bem próximo de servir o Brasil na Copa do Mundo, mas perdeu a vaga para Doni e Gomes, além de Júlio César, titular na ocasião. Após a saída de Dunga, o goleiro teve outras oportunidades ainda em 2010 com Mano Menezes, voltando a seleção mais recentemente, com Felipão.