icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
20/02/2015
10:16

A diretoria do São Paulo tem tentado evitar polêmica em cima da contratação do meia-atacante Centurión. Apesar do técnico Muricy Ramalho dizer que foi pego de surpresa com a suspensão do argentino na Libertadores, situação que o impediu de atuar contra o Corinthians, na última quarta-feira, os dirigentes falam o contrário.

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, o vice-presidente de futebol do Tricolor, Ataíde Gil Guerreiro, minimizou o problema e reforçou o discurso do presidente Carlos Miguel Aidar ao dizer que já sabia da punição dada ao reforço por expulsão em 2013, quando ainda defendia o Racing (ARG).

- Ele não jogou, e daí? Não o contratei para jogar contra o Corinthians! Contratei para todos os campeonatos que vamos disputar. Sabíamos perfeitamente que ele estava suspenso por dois jogos. Não invibializava a contratação - afirmou Ataíde.

Centurión foi suspenso por expulsão na Copa Sul-Americana de 2013, pelo Racing. Na época, pegou dois jogos de suspensão. Por isso, ele ainda tem um a cumprir, já que só agora voltará a campo em competições da Conmebol.

Ao mesmo tempo, o São Paulo tem outro jogador em situação complicada: Paulo Henrique Ganso. Após dizer que houve "roubo" do árbitro Ricardo Marques Ribeiro no clássico, o meia corre o risco de ser processado. Ribeiro já acenou com a possibilidade. Ataíde, por outro lado, defende o jogador de qualquer punição que venha a acontecer.

- Não popde gerar suspensão, o Ganso estava nervoso, falou umas coisas interessantes (risos). O São Paulo ia perder porque não ia conseguir fazer gol no Corinthians nunca. Não ia mudar nada o lance - disse Ataíde.

Ganso reclamou do lance do segundo gol do Corinthians, em que Sheik fez falta no lateral-direito Bruno antes de puxar o contra-ataque.

- Aquilo não foi erro, foi roubo. Se fosse o Serginho Chulapa, ia no vestiário bater nele. Mas como isso não pode mais no futebol, o que o juiz fez foi palhaçada mesmo - disparou o camisa 10.