icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
26/07/2013
13:06

O São Paulo já se movimenta para preencher o cargo de diretor de futebol do clube, vago após a saída de Adalberto Baptista nesta quinta-feira. Ainda, o departamento de futebol tricolor apresentará uma "novidade antiga", isto é, recriará a função de superintendente, ocupação que não existe desde 2011, quando Marco Aurélio Cunha - último a desempenhá-la - deixou o Morumbi. 

- Eventualmente iremos contratar um superintendente, como já tivemos em outras oportunidades. Esse sim será um profissional contratado, obviamente dentro de uma série de requisitos que a gente quer que sejam atendidos. Entre eles o de ser são-paulino, ou ter trabalhado sempre no São Paulo - disse João Paulo de Jesus Lopes, vice-presidente de futebol, reafirmando que o diretor segue sem remuneração, conforme determina o estatuto.

O novo superintendente são-paulino não poderá assumir compromisso que não seja a dedicação integral ao futebol do São Paulo. João Paulo, que assume a diretoria de futebol interinamente, também não descarta a contratação de um ex-jogador do clube para a função. Pintado chegou a afirmar que pode assumir um cargo no departamento e Leonardo, que se demitiu do PSG (FRA), teve seu nome sugerido a Juvenal Juvêncio por conselheiros e dirigentes. Apesar da necessidade de contratar dois profissionais, o vice não dá prazo para definição e evita falar em nomes.

- Não vamos falar de nomes agora. Vamos sentar com a comissão técnica, com seus auxiliares, vamos avaliar eventuais necessidades e se constatarmos que há necssidades, vamos falar com o presidente e vamos atrás. Nesse momento qualquer especulação é prematura. Se houver, não estou sabendo e se não estou sabendo, é porque não existe - completou.

O São Paulo já se movimenta para preencher o cargo de diretor de futebol do clube, vago após a saída de Adalberto Baptista nesta quinta-feira. Ainda, o departamento de futebol tricolor apresentará uma "novidade antiga", isto é, recriará a função de superintendente, ocupação que não existe desde 2011, quando Marco Aurélio Cunha - último a desempenhá-la - deixou o Morumbi. 

- Eventualmente iremos contratar um superintendente, como já tivemos em outras oportunidades. Esse sim será um profissional contratado, obviamente dentro de uma série de requisitos que a gente quer que sejam atendidos. Entre eles o de ser são-paulino, ou ter trabalhado sempre no São Paulo - disse João Paulo de Jesus Lopes, vice-presidente de futebol, reafirmando que o diretor segue sem remuneração, conforme determina o estatuto.

O novo superintendente são-paulino não poderá assumir compromisso que não seja a dedicação integral ao futebol do São Paulo. João Paulo, que assume a diretoria de futebol interinamente, também não descarta a contratação de um ex-jogador do clube para a função. Pintado chegou a afirmar que pode assumir um cargo no departamento e Leonardo, que se demitiu do PSG (FRA), teve seu nome sugerido a Juvenal Juvêncio por conselheiros e dirigentes. Apesar da necessidade de contratar dois profissionais, o vice não dá prazo para definição e evita falar em nomes.

- Não vamos falar de nomes agora. Vamos sentar com a comissão técnica, com seus auxiliares, vamos avaliar eventuais necessidades e se constatarmos que há necssidades, vamos falar com o presidente e vamos atrás. Nesse momento qualquer especulação é prematura. Se houver, não estou sabendo e se não estou sabendo, é porque não existe - completou.