icons.title signature.placeholder Bruno Grossi, David Nascimento e Pedro Barboza
26/07/2014
07:01

O vice-presidente de marketing do Flamengo, Luiz Eduardo Baptista (Bap), confirmou na última sexta-feira a “engenharia financeira” por Robinho ao site “Falando de Flamengo”, conforme Kleber Leite divulgou na quinta-feira. Na ocasião, o ex-presidente afirmou que Bap foi o responsável por montar o plano comercial para acertar com o atacante, que contaria com três empresas dividindo o salário do jogador, totalizando R$ 900 mil.

Na entrevista, Bap afirmou que dependia dos ex-dirigentes Plinio Serpa Pinto e Jorge Rodrigues, presidentes de empresas que já patrocinaram o Flamengo em determinadas épocas, sinalizarem disposição para bancar a contratação de Robinho até o fim da temporada.

– Surgiu a ideia de buscarmos apoio de rubro-negros ilustres e que sempre disseram estar dispostos a ajudar financeiramente, caso surgisse uma oportunidade. E neste momento, a oportunidade tão esperada surgiu. Agora, dependemos do Plinio Serpa Pinto e do Jorge Rodrigues, que sempre disseram “havendo o craque, vamos apoiar”, estarem realmente dispostos a bancar o jogador – disse Baptista.



O LANCE!Net procurou Jorge Rodrigues, mas ele não foi encontrado. Já Plínio Serpa Pinto desconversou e ainda criticou interferência do ex-vice-presidente de futebol, Wallim Vasconcellos, que saiu do cargo no início de junho, mas continua participando do Conselho Diretor do Rubro-Negro.

– Não sei de onde o Bap tirou isso. Mas, qualquer coisa que estiver ao nosso alcance, estamos dispostos a ajudar. O que não pode é o Wallim, que é ex-vice de futebol, continuar no Conselho Diretor e mandando no futebol. Ele é o único gestor e responsável pelos resultados que o Flamengo está tendo e pelo time que temos – afirmou.

Enquanto não há uma definição, os torcedores do Flamengo continuam acreditando que o time escapará do rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Com ou sem Robinho no elenco da Gávea.

EUA: prazo para definição

O retorno de Robinho para o futebol brasileiro até o fim do ano depende muito da ida do atacante para o Orlando City, dos Estados Unidos. O clube está negociando com o Milan (ITA) e estabeleceu a segunda-feira como limite para definir ou abandonar a negociação.

– Nossa proposta já está sobre a mesa. Até segunda expira o nosso prazo para definirmos a questão do Robinho. Se não tivermos uma resposta final até lá, estamos fora – afirmou Flavio Augusto, presidente do Orlando City, ao L!Net.