icons.title signature.placeholder Lucas Faraldo Knopf
22/03/2014
16:43

Após somar nove vitórias em 14 jogos disputados, o Botafogo é dono do terceiro melhor aproveitamento do Campeonato Paulista de 2014 (atrás de Palmeiras e Santos). Mais do que isso, o time de Ribeirão Preto já supera, em números, a campanha feita em 2001, quando conquistou o vice-campeonato estadual (são 67% dos pontos ganhos atualmente, contra 57% daquela época).

Líder do Grupo B, desbancando o Corinthians, atual campeão paulista, o Botafogo é hoje motivo de orgulho para qualquer pessoa que tenha carinho pelo clube. Os atacantes Leandro Guerreiro e Robert que o digam. Ambos, que foram titulares do Pantera na finalíssima contra o Alvinegro do Parque São Jorge em 2001, contaram ao LANCE!Net os segredos daquele time e seus pontos de vista sobre a atual equipe do Tricolor.

Leandro, que teve passagens de destaque por Corinthians e São Paulo na década passada, hoje defende as cores do Botafogo. Aos 33 anos de idade, ele afirma que a união dos jogadores de ambas as equipes (2001 e 2014) é o segredo do sucesso.

– Vários jogadores naquela época estavam no clube há um grande tempo. A gente já se conhecia. Já tinha atuado junto. O entrosamento ajudou muito. Neste ano, quase ninguém se conhecia. Então, a amizade que se formou na pré-temporada ajudou muito – analisou o camisa 10 do Pantera.

– Uma coisa muito importante hoje no clube é que todas as partes têm o mesmo pensamento, a mesma vontade, a diretoria não deixou faltar nada. Estão fazendo um esforço danado. O jogador vai a campo tranquilo, sabendo que vai receber – completou.

Robert, que tem os mesmos 33 anos de seu companheiro de posição, atualmente é jogador do Fortaleza. Artilheiro do ano no Brasil nestes primeiros meses da temporada, o centroavante reafirma o "fator amizade" como grande trunfo daquele time vice-campeão. Ele também lembra a dificuldade de um time do interior se destacar em meio a clubes mais fortes.

– A amizade era muito grande. Dentro de campo era aquela correria, todo mundo se ajudava. Acho que isso é que foi nosso diferencial. Fomos atropelando um por um e chegamos na final – reviveu o camisa 9 do Leão cearense.

– É difícil você estar em um time do interior e fazer uma campanha desta com os grandes clubes do futebol paulista. Mérito dos jogadores, da diretoria. Não é fácil você estar em um time do interior e chegar a estas marcas. Tem coisa boa aí – acrescentou.

BRIGA PELO TÍTULO

Garantido na fase mata-mata do Paulistão, o Botafogo ainda não sabe quem cruzará seu caminho na próxima fase. A possibilidade de ganhar o inédito título estadual, no entanto, já é uma realidade. Tanto Leandro quanto Robert sabem disto, e prometem fazer o que está ao alcance para ajudar nesta conquista.

– Estou tendo oportunidade de disputar um título novamente, fazer história por um clube pelo qual comecei. Não podemos perder para nós mesmos – declarou Leandro.

– Tenho carinho pelos jogadores do Palmeiras, do São Paulo, do Corinthians… Que vença o melhor. E se o Botafoguinho for campeão, aí sim! É a surpresa. Quem sabe? Tomara! Vamos torcer –  comentou Robert.