icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/07/2014
16:32

O centésimo gol pelo Atlético-MG foi apenas um mero detalhe na história de Diego Tardelli no time mineiro. Artilheiro em 2009, o camisa 9 retornou ao clube no ano passado e já conquistou três títulos desde então: o Mineiro e a Libertadores, ambos em 2013, e a Recopa, conquistada nesta última quarta-feira, contra o Lanús. O gol 100 com a camisa do Galo saiu logo aos seis minutos de jogo, de pênalti. Contrariando o que seria o lógico, Ronaldinho Gaúcho não partiu para a bola e deixou Tardelli balançar as redes. Parecia apenas uma cordialidade do craque, mas na verdade R10 já havia combinado com o companheiro de clube que ele seria o batedor, caso houvesse um pênalti durante a partida.

- Geralmente é o Ronaldo que bate o pênalti. Mas a gente já tinha combinado no vestiário que se tivesse um pênalti, eu ia bater. Foi tudo numa boa e, graças a Deus, eu fiz o gol - falou o atacante, após a partida.

MAIS:
> Campeão, Kalil provoca: 'argentino faz festa com time de azul'
> Presidente ainda diz que não há pautas para novas contratações

Eleito o melhor jogador nos dois jogos da Recopa, o atacante encerrou o torneio com um saldo pra lá de positivo. Campeão pelo Galo, centésimo gol pelo clube e a confirmação da volta por cima após um primeiro semestre de críticas por um rendimento abaixo do esperado.

- Fico feliz pelo centésimo gol porque não é fácil fazer 100 gols em um clube tão grande como o Atlético, de tantos jogadores importantes, ainda mais sendo coroado com um título tão importante como a Recopa - acrescentou Diego.

Com 100 gols pelo Atlético-MG, Tardelli igualou a marca de Alvinho a Campos, ex-jogadores do Galo nas décadas de 40 e 70, respectivamente. Atualmente, o atacante já ocupa a 17ª posição no quadro de maiores goleadores na história do clube. Marcelo Oliveira, atual técnico do Cruzeiro, é quem ocupa a 16ª colocação, com 104 gols marcados.