icons.title signature.placeholder João Vitor Xavier
12/04/2014
19:23

Camisa 10 de um gigante do futebol mundial, um dos protagonistas de um dos ataques mais fulminantes do futebol europeu, mas ainda fora da Seleção Brasileira. Esta é a realidade de Philippe Coutinho, que tentará liderar o Liverpool a mais uma vitória na Premier League, neste domingo. E em jogo com cara de final. Os Reds enfrentam o Manchester City em partida que pode decidir o campeão inglês. Mesmo antenado na "decisão", o brasileiro não esquece o sonho de jogar uma Copa do Mundo.

 - Sei que é difícil, que a lista está praticamente fechada, mas sempre resta um pouco de esperança. Seria um sonho poder ajudar o Brasil na Copa. Sigo trabalhando forte para realizar este sonho - comentou Philippe Coutinho ao LANCE!Net.

Leia o bate-papo a seguir:

L!Net: O Liverpool está próximo de encerrar um jejum histórico. Como está o clima na cidade, entre os torcedores e jogadores?
Philippe Coutinho: A torcida vive um clima de euforia, que é natural. Mas isso não chega ao grupo. Estamos centrados no trabalho e cientes de que ainda faltam alguns passos e que a dificuldade será grande.
 
L!Net: Desde que chegou à Inglaterra, você tem se tornado cada vez mais importante dentro do Liverpool. Como avalia esse aumento de responsabilidade?
PC: De forma bem natural. Aqui somos um grupo e todos possuem as suas responsabilidades. Ninguém ganha ou perde sozinho.
 
L!Net: Como avalia o confronto decisivo diante do Manchester City? Encara como uma final?
PC: Na verdade é mais uma final. Tem tudo para ser um grande jogo, com muita dificuldade para os dois lados. São duas equipes fortes.
 
L!Net: Independente do título, o Liverpool deve voltar à disputa da Liga dos Campeões. Está animado para voltar a jogar a competição?
PC: Uma coisa de cada vez. Estamos inteiramente concentrados nessa reta final de campeonato.
 
L!Net: Recentemente, o Felipão esteve na Inglaterra vendo alguns jogos. Ainda tem esperança de ir à Copa do Mundo?
PC: Claro que sim. Sei que é difícil, que a lista está praticamente fechada, mas sempre resta um pouco de esperança. Seria um sonho poder ajudar o Brasil na Copa. Sigo trabalhando forte.