icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
19/11/2013
07:07

Kazuo Watanabe, indicado pelo Palmeiras, e Braz Martins Neto, apontado pela WTorre, escolheram Sydney Sanches, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, como o terceiro mediador do impasse entre clube e construtora sobre o contrato do Allianz Parque.

O trio elaborou um cronograma de reuniões que começa a ser posto em prática ainda neste mês. A missão deles é analisar o contrato e apresentar soluções para os pontos discutidos até 10 de dezembro. Se Palmeiras e WTorre concordarem com a proposta, o fim da briga será formalizado em um novo documento. Se não, o caso vai para a arbitragem, processo mais formal e com decisão definitiva.

Há uma dúvida na interpretação do contrato assinado em 2008. A construtora julga ter o direito de comercializar as 43.700 cadeiras do estádio, enquanto o Verdão diz que são apenas 10 mil. Esta disputa não interfere na renda dos jogos, que ficará 100% com o clube: quem comprar uma cadeira poderá ir a todas as partidas, mas precisará pagar.

O Palmeiras também fará reivindicações, uma delas sobre o descumprimento do cronograma, que indicava a finalização das obras em abril de 2013. O clube pode cobrar uma indenização milionária da parceira.