icons.title signature.placeholder Carlos Alberto Vieira
16/06/2014
19:40

Manaus irá receber  um fluxo de 176 mil turistas na Copa do Mundo. Embora o maior contingente esperado seja o de americanos (35 mil), que superarão os 15 mil ingleses que estiveram na cidade para o jogo contra a Inglaterra, estes são estrangeiros-torcedores de sua seleção, que chegam na cidade para ver uma partida e sai rapidinho para a outra sede na qual o seu time jogará.

Mas há torcedor de um país que não está na Copa e que pode ser visto em todos os lugares, em grupo ou não e que ficará na cidade até o término da fase de grupos: o venezuelano. A secretaria de turismo do Amazonas ainda não tem um número oficial, mas projeta que o contingente ultrapasse dois mil.

Os venezuelanos preferem a área da Fan Fest, na Ponta Negra, ou do Teatro Amazonas, onde há telões para as partidas. Muitos torcem para a Itália por questões familiares (há boa presença de imigrantes italianos no país). E o apoio está bem dividido: Brasil, Argentina e Colômbia também estão no gosto.

- Oscar Diamante é um deles. Faz parte de um grupo de três amigos. Diz que o seu país dificilmente terá uma Copa do Mundo em casa  e que a capital do Amazonas se tornou a sede da Venezuela na Copa por causa da proximidade.

- Acho que é o mais próximo que teremos em relação a uma Copa. São duas horas de voo. É mais fácil um venezuelano viajar para Manaus do que alguém da região Sul do Brasil. Então, muitos de nós resolveram considerar a Arena da Amazônia o estádio oficial do torcedor venezuelano na Copa - disse Diamante, que está na acreditando no sucesso da .... Inglaterra?

- Sei que sou diferente dos meus amigos. Nosso grupo tem quatro e nínguém torce para a mesma seleção. Tem um que é Argentina, outro Itália e outro Colômbia. Mas eu gosto da Inglaterra, que tem grandes clubes, rock, história. Eu fiquei bem decepcionado com a derrota - disse

O quarteto chegou em Manaus no dia 13 e ficará mais 15 dias na cidade.

- Consegui ingressos para os quatro jogos de Manaus e estamos realizando um sonho. Conhecemos muitos ingleses e italianos, muitos americanos estarão aqui e trocaremos experiências. Só não arranjei uma namorada. Ainda. Quem sabe não me saio bem com as croatas, dizem que elas são lindas, mas ainda não chegaram por aqui  - disse Martin, um dos venezuelanos do grupo que caminhava na área próxima ao porto de Manaus e fotografava a praça na qual fica a Igreja matriz da cidade.