icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
12/12/2013
16:43

O Atlético-MG manteve quase que completamente o time titular da Libertadores para o Mundial. A única diferença - além de Lucas Cândido - está na ausência do meia-atancante Bernard, vendido em agosto para o Shakhtar Donetsk. Revelado pelo Galo e um dos protagonistas da conquista histórica continental, o jovem jogador não escondeu a vontade de estar defendendo o Galo no Marrocos.

 - Saudades do Atlético. Queria estar lá, só quem sabe da minha história no Atlético desde o início sabe o quanto eu gostaria de estar lá, no Mundial. Mas agradeço a Deus por ter feito história no Atlético e meu carinho não tem fim. O Atlético-MG estará sempre nas minhas melhores memórias, isso é algo que eu vou contar para todos - disse o jogador.

Depois de defender o Shakhtar Donetsk na primeira metade da temporada europeia, Bernard voltou ao Brasil para curtir as férias de fim de ano e comentou também sobre os 54 milhões de sua venda destinados ao Atlético-MG, mas bloqueados pela Fazenda Nacional. O ex-camisa 11 explicou que é uma parte passiva no assunto, mas que torce para que os cofres do Galo sejam abastecidos, revelando uma preocupação com as finanças do seu ex-clube:

- Difícil falar sobre isso, algo que fica fora do meu controle, mas espero que a sitação tem de se resolver da melhor maneira possível. A gente sabe que é um dinheiro importante para ajudar o Galo a contratar novos reforços. Estou na expectativa para que isso se resolva o mais rápido possível.

Bernard desembarcou no Aeroporto de Confins e foi recepcionado por uma legião de fãs. As 'Bernardetes' não deixavam o craque respirar de tanto assédio.

-  No frio que está lá, chegar aqui e ser recebido da maneira que eu estou sendo recebido aqui é algo incrível, fico muito feliz, cheguei muito cansado e vejo essa galera aqui. Não tem nada que pague isso no mundo - disse Bernard.