icons.title signature.placeholder Gabriel Rodrigues
18/12/2013
14:58

A rescisão do contrato por parte da Nissan não agradou ao Vasco, principalmente pela justificativa dada pela montadora japonesa. Com isso, o departamento jurídico do clube cruz-maltino já se movimenta para tentar garantir o valor previsto no acordo, que ia até 2016, mas que não tinha nenhuma cláusula prevendo multa em caso de quebra de contrato.

O clube já entrou em contato com o departamento jurídico da montadora japonesa, na tentativa de um acordo amigável. A entrada na justiça seria apenas em último caso.

- Hoje (quarta-feira), vamos contra-notificar a Nissan e aguardar uma posição da empresa. Não tinha porque quebrar o acordo, o Vasco não tem nada com o acontecido. Se não entrarmos num acordo, vamos entrar na Justiça contra a Nissan - disse o advogado do Vasco, Marcelo Macedo, ao LANCE!Net.

Em nota divulgada na última segunda-feira, a Nissan apresentou como justificativa para a rescisão do contrato as cenas da barbárie ocorridas na Arena Joinville, na última rodada do Brasileiro, quando torcedores do Vasco e Atlético-PR se envolveram numa briga generalizada nas arquibancadas.

Pelo contrato, firmado em julho deste ano, a Nissan, que estampava as costas da camisa cruz-maltina, pagava R$ 7 milhões por cada cota. Com a rescisão, o Vasco deixa de ganhar R$ 21 milhões.