icons.title signature.placeholder Bruno Braz e Rodrigo Ciantar
28/11/2013
07:43

Durante toda a temporada, Alessandro, assim como os demais goleiros do Vasco, teve que conviver com críticas e altos e baixos sob as traves cruz-maltinas. Porém, foi no torcedor Gabriel Silva, de 16 anos, que o camisa 12 sempre encontrou a paz, a força e o carinho necessários para dar a volta por cima no Gigante da Colina.

Desde o ano passado, o jovem vascaíno acompanha o passo a passo do arqueiro. Vai a treinamentos e jogos e, sempre que pode, leva cartazes motivacionais para Alessandro, fato que o fez se tornar o fã número 1 do goleiro.

– Passei a gostar dele no primeiro jogo que fui a um estádio, que foi justamente na estreia do Alessandro como titular do Vasco (dia 1 de fevereiro de 2012). Desde então o acompanho nos treinos e jogos e acabei pegando gosto por ele vendo-o agarrando. Até nos momentos difíceis eu estava do lado dele apoiando – destaca Gabriel.

Todo o carinho foi retribuído com a gratidão de Alessandro, que já o presenteou com um par de luvas, camisa, alguns bate-bolas no gramado de São Januário e uma surpresa especial: o comparecimento ao aniversário de Gabriel.

Hoje já amigo do goleiro, o menino não tem dúvidas ao afirmar quem é o melhor da posição:

– Para mim ele é o melhor goleiro do mundo!

Alessandro já deu duas camisas de presente para o fã Gabriel Silva (Crédito: Arquivo pessoal)



No sábado, véspera da partida contra o Náutico no Maracanã, Gabriel estará novamente em São Januário passando uma força para o seu grande ídolo. Confiante, ele transmite uma mensagem de apoio para o camisa 12 da Colina:

– Mando todas as forças positivas possíveis para ele e digo que estou ao seu lado para o que der e vier. Que ele acredite no sucesso do Vasco, porque eu tenho certeza de que tudo dará certo – desejou Gabriel, que treina em uma escolinha “curiosamente” como goleiro.

Apoio no período mais complicado

Gabriel ganhou ainda mais o carinho de Alessandro quando o goleiro atravessou seu pior momento da temporada, após falhar e cair para o posto de terceiro arqueiro da equipe do Vasco.

– Eu ficava indo aos treinos de quem não era relacionado. O time viajava na sexta e, no sábado, eu ia para São Januário com meu cartaz para acompanhar o Alessandro treinar junto com os que tinham ficado fora da relação – recorda o jovem torcedor.

Alessandro, porém, deu a volta por cima e, desde a partida contra o Goiás, pelas quartas de final da Copa do Brasil, se mantém entre os titulares do Cruz-Maltino. De lá para cá, foram sete partidas, tendo sofrido nove gols.

Veja abaixo mais trechos da entrevista de Gabriel Silva ao LANCE!Net:

Como foi seu primeiro contato com o Alessandro?
No dia do jogo da estreia dele entre os titulares eu fiquei esperando o ônibus para pegar um autógrafo, mas não consegui. Aí acabou que fui a um treino depois, ele autografou minha blusa e perguntou se eu queria as luvas dele. Depois disso, passei a acompanhá-lo.

E como foi vê-lo voltando ao posto de titular do gol do Vasco?
Fiquei muito emocionado com a volta dele. No primeiro jogo do Alessandro depois que ele retornou como titular, eu até chorei. Para mim, ele é um ídolo!

E como foi vê-lo fazendo grandes defesas no último jogo, contra o Cruzeiro, no Maracanã?
Eu estava lá no estádio. Vibrei mais com a defesa dele no chute do Éverton Ribeiro que com os próprios gols do Vasco.

E você pretende ser goleiro assim como o Alessandro?
Pretendo ser goleiro, sim. No momento, eu ainda estou numa escolinha. Como não tem escolinha do Vasco perto de onde eu moro (Realengo, Zona Oeste do Rio de Janeiro), tenho feito numa que tem aqui perto da minha casa.