icons.title signature.placeholder Bruno Braz e Rodrigo Ciantar
icons.title signature.placeholder Bruno Braz e Rodrigo Ciantar
03/07/2013
07:32

Entre vitórias e derrotas, gols e lesões, Carlos Alberto pode viver nesta quinta-feira o capítulo final de sua passagem pelo Vasco. E com um final que dificilmente será feliz. A um mês do encerramento do contrato, o meia será julgado no Pleno do TJD/RJ e corre o risco de ser punido por doping. Mas, independentemente dessa situação, uma renovação contratual é vista com pessimismo.

A diretoria vascaína ainda não procurou Carlos Alberto para falar da renovação de seu contrato, que termina no dia 2 de agosto. Até agora, já foram realizadas algumas reuniões com o empresário dele, mas para tratar somente dos milhões, entre salários e outros pagamentos, que o clube deve.

– Não conversamos sobre esta questão. No momento, estou aguardando o julgamento do doping. Minha preocupação é com isso. Torcer para que a justiça seja feita e ele seja absolvido de novo. Depois, conversaremos com o Vasco – disse Carlos Leite, empresário do jogador, que confirmou já ter se reunido com o clube para tentar quitar a dívida:

– Isso já está sendo falado. Acredito que vamos chegar a uma solução.

Carlos Alberto foi flagrado no exame antidoping no dia 2 de março de 2013, após a semifinal da Taça Guanabara, contra o Fluminense, com as substâncias proibidas Hidrocloratiazida e Carboxi-Tamoxifeno. No dia 22 de maio, ocorreu o primeiro julgamento e o jogador foi absolvido pelo TJD.

Um mês depois, porém, a Procuradoria recorreu da decisão e um novo julgamento foi marcado, desta vez no Pleno do TJD. Advogada do Vasco e do jogador, Luciana Lopes está confiante e diz que não mudará muito a defesa de Carlos Alberto.

– Não vamos mudar muita coisa. Estamos confiantes. Esperamos que o tribunal mantenha a posição da comissão. A Procuradoria tem a tese dela e nós temos a nossa, com a única vantagem de já termos uma decisão favorável do primeiro julgamento.

Entre vitórias e derrotas, gols e lesões, Carlos Alberto pode viver nesta quinta-feira o capítulo final de sua passagem pelo Vasco. E com um final que dificilmente será feliz. A um mês do encerramento do contrato, o meia será julgado no Pleno do TJD/RJ e corre o risco de ser punido por doping. Mas, independentemente dessa situação, uma renovação contratual é vista com pessimismo.

A diretoria vascaína ainda não procurou Carlos Alberto para falar da renovação de seu contrato, que termina no dia 2 de agosto. Até agora, já foram realizadas algumas reuniões com o empresário dele, mas para tratar somente dos milhões, entre salários e outros pagamentos, que o clube deve.

– Não conversamos sobre esta questão. No momento, estou aguardando o julgamento do doping. Minha preocupação é com isso. Torcer para que a justiça seja feita e ele seja absolvido de novo. Depois, conversaremos com o Vasco – disse Carlos Leite, empresário do jogador, que confirmou já ter se reunido com o clube para tentar quitar a dívida:

– Isso já está sendo falado. Acredito que vamos chegar a uma solução.

Carlos Alberto foi flagrado no exame antidoping no dia 2 de março de 2013, após a semifinal da Taça Guanabara, contra o Fluminense, com as substâncias proibidas Hidrocloratiazida e Carboxi-Tamoxifeno. No dia 22 de maio, ocorreu o primeiro julgamento e o jogador foi absolvido pelo TJD.

Um mês depois, porém, a Procuradoria recorreu da decisão e um novo julgamento foi marcado, desta vez no Pleno do TJD. Advogada do Vasco e do jogador, Luciana Lopes está confiante e diz que não mudará muito a defesa de Carlos Alberto.

– Não vamos mudar muita coisa. Estamos confiantes. Esperamos que o tribunal mantenha a posição da comissão. A Procuradoria tem a tese dela e nós temos a nossa, com a única vantagem de já termos uma decisão favorável do primeiro julgamento.