icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
31/07/2013
11:17

Quando Valdivia voltou ao time após 114 dias fora, a comissão técnica deixou claro que o meia não iria atuar em todos os jogos do Palmeiras. Até agora, porém, o chileno participou das cinco partidas que o Verdão teve desde seu retorno. E segundo o camisa 10, ele tem condições de jogar também nesta sexta-feira, quando o Bragantino visita o atual líder da Série B, no Pacaembu.

- Tudo tranquilo. Vocês (jornalistas) ficam perguntando, mas eu estou bem. Todos nós já estamos pensando na sexta-feira. E eu estou bem - disse Valdivia após a goleada sobre o Icasa.

Sempre articulado, o Mago foi desta vez curto ao ser perguntado se tem condições de jogar os 90 minutos contra o time de Bragança Paulista: "sim". Sobre a vontade de ser titular, o armador mais uma vez não se alongou: "sim, como todo mundo".

Titular contra Oeste, ABC e Guaratinguetá, Valdivia foi relacionado para enfrentar o Verdão do Cariri, mas começou a partida no banco de reservas. Ainda antes do jogo começar, Kleina explicou que a decisão de começar o jogo com Mendieta se deu pelo planejamento e indicativos que os exames realizados pela comissão técnica demonstraram. Agora com menos de tempo de recuperação (os jogos vinham acontecendo no intervalo de uma semana), a ideia é evitar ao máximo que o jogador volte a se lesionar.

Com Valdivia no time, o Palmeiras deslanchou. Após sustos e com uma vitória magra por 1 a 0, o meia se destacou nas jogadas para o terceiro e quarto gols do Verdão, ambos com sua participação - no último o camisa 10 deu a assistência para Alan Kardec, outro que veio do banco. Ao analisar as diferenças entre a Série A e B, o palmeirense considerou que a qualidade técnica tem feito o time se impor sobre os rivais na competição.

- A diferença é a qualidade dos times. A Série B é mais pegada, mais pancada. A Série A, pelo o que sinto, tem mais espaço para jogar, não tem tanto campo ruim como o do Guaratinguetá. Na Série A não tem time bobo. Agora na Série B os times com quem nós vamos jogar é difícil de igualar. Estamos conseguindo igualar e nos impondo na qualidade técnica. E é por isso que estamos conseguindo boas vitórias - completou.

Quando Valdivia voltou ao time após 114 dias fora, a comissão técnica deixou claro que o meia não iria atuar em todos os jogos do Palmeiras. Até agora, porém, o chileno participou das cinco partidas que o Verdão teve desde seu retorno. E segundo o camisa 10, ele tem condições de jogar também nesta sexta-feira, quando o Bragantino visita o atual líder da Série B, no Pacaembu.

- Tudo tranquilo. Vocês (jornalistas) ficam perguntando, mas eu estou bem. Todos nós já estamos pensando na sexta-feira. E eu estou bem - disse Valdivia após a goleada sobre o Icasa.

Sempre articulado, o Mago foi desta vez curto ao ser perguntado se tem condições de jogar os 90 minutos contra o time de Bragança Paulista: "sim". Sobre a vontade de ser titular, o armador mais uma vez não se alongou: "sim, como todo mundo".

Titular contra Oeste, ABC e Guaratinguetá, Valdivia foi relacionado para enfrentar o Verdão do Cariri, mas começou a partida no banco de reservas. Ainda antes do jogo começar, Kleina explicou que a decisão de começar o jogo com Mendieta se deu pelo planejamento e indicativos que os exames realizados pela comissão técnica demonstraram. Agora com menos de tempo de recuperação (os jogos vinham acontecendo no intervalo de uma semana), a ideia é evitar ao máximo que o jogador volte a se lesionar.

Com Valdivia no time, o Palmeiras deslanchou. Após sustos e com uma vitória magra por 1 a 0, o meia se destacou nas jogadas para o terceiro e quarto gols do Verdão, ambos com sua participação - no último o camisa 10 deu a assistência para Alan Kardec, outro que veio do banco. Ao analisar as diferenças entre a Série A e B, o palmeirense considerou que a qualidade técnica tem feito o time se impor sobre os rivais na competição.

- A diferença é a qualidade dos times. A Série B é mais pegada, mais pancada. A Série A, pelo o que sinto, tem mais espaço para jogar, não tem tanto campo ruim como o do Guaratinguetá. Na Série A não tem time bobo. Agora na Série B os times com quem nós vamos jogar é difícil de igualar. Estamos conseguindo igualar e nos impondo na qualidade técnica. E é por isso que estamos conseguindo boas vitórias - completou.