icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
25/11/2014
15:00

O meia Valdivia não poupou de críticas à cartolagem palmeirense em entrevista coletiva na tarde desta terça-feira, na Academia de Futebol. O Mago, que é o principal jogador da equipe que luta para não ser rebaixada para a Série B, ironizou as promessas dos dois candidatos à presidência do clube de montarem uma equipe forte.

- Pelo que o Paulo (Nobre) e o Pescarmona estão falando, querem formar um time forte em 2015. Mas todo ano o papo é o mesmo. Falam que vão montar um time forte, um time que vai disputar títulos, com jogadores fortes... Não é a questão de trazer Messi, Cristiano Ronaldo. Mas precisamos ter elenco. Não dá para um único jogador ter a responsabilidade - afirmou, referindo-se à expectativa que recai sobre suas costas nesta reta final de Brasileiro.

Incomodado com cobranças por conta do salário que recebe (cerca de R$ 450 mil mensais), Valdivia declarou que ganha menos do que muitos pensam e que sempre faz de tudo para estar em campo, lembrando todas as circunstâncias que o fizeram ficar fora de boa parte dos duelos do Verdão no Brasileiro.

- Não me sinto em dívida com o torcedor. Mas eu vim preparado para responder essa pergunta. O Palmeiras fez 36 partidas, joguei 16. Fiquei fora 20, mas 7 por lesão. Fiquei seis vezes fora por causa da seleção. Eu fiquei cinco vezes fora por causa do período da negociação em que o Palmeiras me liberou (para acertar com o Al-Fujairah) - acrescentou. 

- Ninguém pode colocar o dedo na minha cara e dizer que a culpa é minha. Eu faço de tudo para ficar dentro de campo. Mas parece que só o Valdivia que precisa treinar e jogar, tudo isso porque falam sempre que eu sou bem pago. Falam que meu salário é de 500 mil e às vezes falam que 600 mil. E tem gente que fala ainda que o Nobre faz um esforço e me paga 700 mil. Peço para vocês investigarem quanto eu ganho. Não chega nem a 400 mil. Essa questão de você é bem pago e precisa jogar - afirmou o atleta, que completou:

- Sou bem pago, sim. Mas nada é de graça. Em 2006, meu salário era 30 mil. Nunca fiz um pedido de aumento salarial.

O Mago tem contrato até agosto de 2015, e tanto oposição quanto situação já demonstraram interesse em renovar com o jogador, que também quer ficar. Mesmo que o jogador não fique, o clube tem de pagar R$ 700 mil por mês para pagar a dívida da contratação do meia, em 2010.

No próximo sábado, o Palmeiras visitará o Inter pela penúltima rodada do Brasileirão, no Beira-Rio, e entrará na zona da degola se não vencer e o Vitória superar o Flamengo em Manaus. Ainda com problemas físicos, Valdivia é dúvida para a partida.