icons.title signature.placeholder Daniel Bortoletto, Igor Siqueira e Thiago Correia
18/06/2014
21:05

Não foi uma vitória sobre os donos da casa, tampouco foi na final. Mas o fato de o Chile ter vencido a atual campeã do mundo, tida como uma das favoritas da Copa e ainda no Maracanã fez Valdivia comparar o triunfo de ontem ao que fizeram os uruguaios na final da Copa-1950, diante do favoritíssimo Brasil. Para o Mago, foi um novo maracanazo.

– O sabor é bom pela vitória, mas vai além: ganhamos os atuais campeões mundiais. Infelizmente não podemos relaxar. Amanhã temos que treinar e já pensar na Holanda saindo do estádio. Creio que as pessoas que estão no Chile desfrutaram de um novo maracanazo – afirmou Valdivia, que entrou na reta final do segundo tempo.

Ao mesmo tempo que evoca o maracanazo, o Mago diz que a sua seleção não pode ser considerada uma surpresa no Mundial.

– O Chile não é uma surpresa, é uma realidade. Somos humildes porque queremos levar o Chile ao máximo – completou.

Para o volante Vidal, o resultado no Maracanã vai ficar na história do futebol chileno.

– Muito contente, orgulhoso da equipe. Demonstramos que somos uma equipe forte, que vem com vontade. E vamos falar muito sobre esse Mundial – disse ele, elogiando a atmosfera do estádio:

– Foi legal jogar nesse estádio espetacular. Muita gente veio nos ver.

Com a classificação assegurada, o Brasil pode ser o próximo adversário. Mas Marcelo Díaz não quer pensar nisso agora:

– Vamos brigar de igual para igual contra todos. Sou cauteloso. Minha frase é passo a passo. A Holanda vem e depois veremos.