icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
30/07/2013
13:05

O jogo das 21h50 desta terça-feira contra o Icasa não tem tanta importância para o Palmeiras a ponto de decidir se o clube voltará à Série A no ano que vem. Mas carrega valor para Valdivia, que alcançará a sua quinta partida consecutiva depois de grave lesão na coxa direita, sofrida em março e curada totalmente no início deste mês de julho.

Esta sequência foi a mesma que o chileno protagonizou no primeiro semestre, entre 24 de fevereiro e 14 de março, antes de se lesionar e ficar entregue ao departamento por quase quatro meses a ponto de não atuar por 114 dias.

Naqueles jogos, o camisa 10 entrou no segundo tempo diante do União Barbarense (1 a 0) e Libertad (0 a 2), e foi titular contra Tigre (0 a 1), São Paulo (0 a 0) e Paulista (2 a 1), no intervalo de 19 dias. Na série atual, que começou no último dia 6 de julho, ele iniciou todas as partidas: Oeste (4 a 0), ABC (4 a 1), Figueirense (3 a 2) e Guaratinguetá (1 a 1) e não tem titularidade confirmada ante o Icasa, num período de 25 dias.

A comissão técnica trata Valdivia com cautela, sobretudo para o compromisso desta terça. Será a primeira vez desde que ele foi liberado pelos médicos que ele fará duas partidas em um intervalo inferior a uma semana, já que a igualdade com o Guará se deu no último sábado.

- Há algum tempo, o Valdivia tinha um estímulo forte de jogo e se machucava, ficava um tempo parado. Não conseguíamos dar uma sequência de estímulos fortes nele. Agora estamos conseguindo dar sequência e acreditamos que, mais para frente, ele vai conseguir fazer esses dois jogos na semana como todos os outros atletas - projetou o preparador físico Fabiano Xhá, antes de concluir:

- É genético. A musculatura do Valdivia se recupera de forma mais lenta do que os outros. Temos que respeitar a necessidade biológica dele e de todos os atletas.

O meia foi poupado do treinamento desta segunda-feira e realizou exercícios físicos na sala de musculação. Enquanto isso, o paraguaio Mendieta o substituiu no treino tático sem adversário, que teve a seguinte formação: Fernando Prass; Luis Felipe, Vilson, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Charles, Wesley e Mendieta; Vinicius e Leandro. Gilson Kleina ainda testou Alan Kardec na vaga de Wesley.

O jogo das 21h50 desta terça-feira contra o Icasa não tem tanta importância para o Palmeiras a ponto de decidir se o clube voltará à Série A no ano que vem. Mas carrega valor para Valdivia, que alcançará a sua quinta partida consecutiva depois de grave lesão na coxa direita, sofrida em março e curada totalmente no início deste mês de julho.

Esta sequência foi a mesma que o chileno protagonizou no primeiro semestre, entre 24 de fevereiro e 14 de março, antes de se lesionar e ficar entregue ao departamento por quase quatro meses a ponto de não atuar por 114 dias.

Naqueles jogos, o camisa 10 entrou no segundo tempo diante do União Barbarense (1 a 0) e Libertad (0 a 2), e foi titular contra Tigre (0 a 1), São Paulo (0 a 0) e Paulista (2 a 1), no intervalo de 19 dias. Na série atual, que começou no último dia 6 de julho, ele iniciou todas as partidas: Oeste (4 a 0), ABC (4 a 1), Figueirense (3 a 2) e Guaratinguetá (1 a 1) e não tem titularidade confirmada ante o Icasa, num período de 25 dias.

A comissão técnica trata Valdivia com cautela, sobretudo para o compromisso desta terça. Será a primeira vez desde que ele foi liberado pelos médicos que ele fará duas partidas em um intervalo inferior a uma semana, já que a igualdade com o Guará se deu no último sábado.

- Há algum tempo, o Valdivia tinha um estímulo forte de jogo e se machucava, ficava um tempo parado. Não conseguíamos dar uma sequência de estímulos fortes nele. Agora estamos conseguindo dar sequência e acreditamos que, mais para frente, ele vai conseguir fazer esses dois jogos na semana como todos os outros atletas - projetou o preparador físico Fabiano Xhá, antes de concluir:

- É genético. A musculatura do Valdivia se recupera de forma mais lenta do que os outros. Temos que respeitar a necessidade biológica dele e de todos os atletas.

O meia foi poupado do treinamento desta segunda-feira e realizou exercícios físicos na sala de musculação. Enquanto isso, o paraguaio Mendieta o substituiu no treino tático sem adversário, que teve a seguinte formação: Fernando Prass; Luis Felipe, Vilson, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Charles, Wesley e Mendieta; Vinicius e Leandro. Gilson Kleina ainda testou Alan Kardec na vaga de Wesley.