icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/02/2015
11:58

Oswaldo de Oliveira não conta com Valdivia e Cleiton Xavier para a estreia do Palmeiras na Copa do Brasil, na próxima quarta-feira, diante do Vitória da Conquista. Enquanto o chileno ainda não está totalmente recuperado da lesão na coxa esquerda, o ex-jogador do Metalist (UCR) não terá sua documentação entregue a tempo. Com isto, a tendência é de que o time que jogará neste sábado contra o Capivariano seja utilizado também no meio da próxima semana, exceto por Zé Roberto, que tem uma cirurgia nos dentes marcada para esta segunda.

- O Zé tem um desgaste na arcada dentária que precisa ser corrigido. Em princípio embarcamos na segunda. Se não der para mudar (a data da cirurgia), ele vai fazer logo na segunda para não adiar - resumiu Oswaldo.

O problema do camisa 11 deve tirá-lo dos trabalhos por apenas dois dias, liberando-se para atuar no fim de semana seguinte, diante do Bragantino. Valdivia, por sua vez, não está garantido nem neste jogo do Estadual. O camisa 10 recupera-se de uma lesão sofrida na coxa esquerda ainda no ano passado, e tinha como primeiro prazo para estrear em 2015 o confronto deste sábado, diante do Capivariano. A data foi adiada, e o jogo ante o Vitória da Conquista era uma possibilidade para sua volta, mas isto não se confirmou.

O Mago já tem aparecido no gramado da Academia, e na quinta jogou futevôlei. Cleiton Xavier participa de coletivos entre os reservas, e a tentativa era de regularizá-lo no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF até terça, um dia antes do confronto. Conforme já temia, o Verdão, porém, isto não ocorrerá a tempo. A tendência é de que sua documentação seja entregue pela federação ucraniana apenas no dia 12, daqui a duas semanas. Ele, portanto, poderia jogar apenas no dia 2 de abril, data prevista para o jogo de volta na Copa do Brasil, caso o Verdão não vença por ao menos dois gols de diferença na ida.

- Não vai ter como (usá-lo no dia 4). O tempo que tivemos para evoluir com ele vamos continuar. O problema é para ele, de motivação. Isso vamos procurar estimular. O Cleiton tem me parecido uma pessoa tranquila e consciente, pé no chão, que sabe o que está acontecendo. Acho que não vai sofrer muita alteração. Claro que vai ficar um pouco mais ansioso para querer jogar. Vamos tentar contornar com ele. Um jogador da qualidade dele, do tamanho dele, não vai ter grandes problemas sobre isso. A não ser lamentar que não podemos contar com ele durante tanto tempo - completou o técnico.