icons.title signature.placeholder Igor Siqueira
27/06/2014
12:04

O secretário-geral da Fifa reforçou o entendimento do Comitê Disciplinar da entidade em relação a Luis Suárez. Jérôme Valcke, que participou nesta sexta-feira de uma coletiva para balanço da primeira fase do Mundial, concorda com a punição aplicada ao uruguaio, que ficou fora da Copa do Mundo por causa da mordida no zagueiro italiano Chiellini, e entende que o jogador precisa de tratamento.

- É difícil, seja lá o que eu disser eu vou ser criticado. Ele deveria procurar uma maneira de não fazer isso, com algum tratamento, não sei. Não foi a primeira vez. Na primeira é um incidente, mas a terceira deixou de ser - afirmou Valcke.

O secretário-geral da Fifa foi indagado se a pena de suspensão de nove jogos oficiais pela seleção uruguaia, além de quatro meses de afastamento total do futebol, não foi uma pena exagerada ao jogador. Valcke respondeu que, pela importância da Copa, algo exemplar precisava ser feito.

- Sempre tem alguém que acha que foi demais. Mas são decisões tomadas pelo Comitê Disciplinar. Não foi incidente. Foi algo visto por milhões de pessoas. Não dá. Pode ser em qualquer jogo de futebol, isso não pode acontecer. Não vou morder o Gregorio (diretor de comunicação da Fifa) porque ele não faz alguma coisa - comentou o dirigente, que ainda emendou:

- Não é o Liverpool que está sendo punido, é o jogador. O que ele fez não se aplica só a jogos internacionais. A comissão levou em conta o histórico do Suárez, informações e evidências. E é por isso que não se limita só as partidas internacionais.

Por causa da punição, Suárez perdeu a credencial para a Copa e está impedido de frequentar qualquer ambiente ligado ao futebol. Por isso, não pôde continuar nem no hotel da delegação celeste.