icons.title signature.placeholder Bruno Grossi e Daniela Caravaggi
22/04/2014
07:30

Douglas foi contratado em 2012 como a esperança do São Paulo para corrigir os problemas na lateral direita. Lesionado, ele demorou a estrear, mas ganhou confiança com o bom futebol apresentado nas primeiras partidas pelo clube. O crédito, no entanto, logo diminuiu com a torcida tricolor. Queridinho de Ney Franco, sofreu junto com o técnico com as vaias vindas das arquibancadas do Morumbi. Som que seguiu mesmo quando Muricy Ramalho ergueu a equipe no Campeonato Brasileiro do ano passado.

A fase do São Paulo podia ser ótima, regular ou péssima, que Douglas seguia perseguido pelos torcedores. Há um mês, o lateral desabafou e afirmou que sonhava com o dia em que todo o Morumbi gritaria seu nome por reconhecimento. Contra o Botafogo, no último domingo, o sonho nunca esteve tão próximo de ser realizado. Vaiado quando teve o nome anunciado pelo sistema de som do estádio tricolor, Douglas reverteu o cenário ainda no primeiro tempo e em grande estilo.

Aos 21 minutos, o lateral já tinha chamado a atenção por bons desarmes, mas resolveu aparecer na frente ao receber de Alexandre Pato, driblar o goleiro Jefferson e marcar um dos gols da vitória por 3 a 0 do seu time.

– É gratificante ver a torcida te apoiando. Vi a torcida vibrante o tempo todo. Cada jogador quer ter seu nome gritado durante as partidas. E aos poucos vou conquistando meu espaço. É sempre bom ter a torcida do seu lado. Agradeço o apoio que deram domingo – disse o ala.

O gol provocou virada instantânea na tarde de Douglas. O lateral seguiu firme e sério no campo defensivo e foi pouco incomodado por Wallyson ou Zeballos. Já Julio Cesar teve de se desdobrar para conter os avanços do camisa 23 são-paulino. A insegurança se transformou em confiança. Os erros de passe sumiram: deram lugar a cruzamentos perigosos para a zaga botafoguense. E dos mais de 31 mil torcedores presentes no Morumbi para a estreia no Campeonato Brasileiro, ecoaram aplausos no lugar das vaias.

– Cada um tem um pensamento do que foi e do que é minha história aqui no São Paulo. Seja como atacante ou como lateral, procuro viver esse bom momento que estou nesse ano. Estou conseguindo impor aquilo que é o que eu almejo aqui: ser um bom jogador – projetou Douglas.

Na melhor atuação com a camisa do São Paulo, o sonho de ser ovacionado bateu na trave, mas o lateral está pronto para aproveitar o rebote.