icons.title signature.placeholder Alexandre Braz
06/07/2014
08:13

Nesta semana que, os jogadores do Botafogo se manifestaram mais uma vez contra a diretoria do clube, recusando viagem para João Pessoa, onde haveria amistoso contra o Botafogo-PB, na última quinta-feira. O técnico Vagner reconheceu o direito de cobrança por parte dos atletas, garantindo também haver um prazo dado pelos dirigentes para que o problema seja resolvido. Porém, na opinião do treinador, que luta para acertar o time para o retorno ao Campeonato Brasileiro, após a Copa do Mundo, os conflitos trazem perdas para todas as partes envolvidas.

- De uma forma simples, os jogadores têm direito de cobrar. quem tem que receber e não recebe, obviamente, fica chateado. É uma manifestação legítima. Acontece em outros setores da sociedade. O que tem me sido passado, através do presidente, é que a diretoria está tentando solucionar o mais rápido. Havia uma palavra de que isso seria acertado antes do jogo contra o Sport, boa parte do que está atrasado. O jogo ainda não aconteceu e temos que dar o prazo necessário àquilo que foi falado. Todos estão perdendo alguma coisa. O fato de os funcionários estarem dificuldade incomoda a todos. E incomoda a diretoria também, porque ninguém gosta de ficar devendo - afirmou o treinador, em entrevista coletiva, neste sábado, no Cefan, Zona Norte do Rio, onde o time tem treinado.

Apesar das dificuldades que tem enfrentado e do cancelamento do amistoso, o que frustrou os seus planos para montar e ver o time atuando em uma partida depois da parada no Brasileirão para a disputa da Copa, Mancini destacou o empenho dos jogadores nos treinos. Neste sábado, houve jogo-treino contra o JC Soccer. O treinador destacou que é preciso ter compromisso com o clube e com seus torcedores, independentemente dos problemas.

- Da parte dos jogadores, nenhum deles caiu de rendimento, que é um pedido que faço a eles diariamente, pois temos a necessidade de nos apresentarmos bem. O torcedor quer ver o time jogar bem, então não temos o direito de errar por nada, mesmo quando temos direito de reclamar. A reclamação foi feita e do outro lado tem a diretoria querendo solucionar. É uma situação difícil, mas estamos colocando o Botafogo à frente para que nada caia em termos de treinamento e que possamos reiniciar bem o campeonato - destacou.

Atualmente a diretoria deve cerca de dois meses na Carteira de Trabalho (CLT), e outros cinco de direitos de imagem aos jogadores. Os problemas têm se agravado e neste sábado, o gerente técnico Sidnei Loureiro pediu demissão do cargo, em reunião entre membros da diretoria. O vice de futebol, Chico Fonseca também deve sair. A diretoria deve se pronunciar sobre as mudanças neste segunda-feira.