icons.title signature.placeholder Daniel Hippertt e Luiz Signor
26/11/2013
14:45

Enderson Moreira foi confirmado como técnico do Goiás no dia 28 de setembro de 2011. Desde então, ele só tem colecionado bons resultados à frente do Esmeraldino, que, apenas este ano, levou o Campeonato Goiano, foi semifinalista da Copa do Brasil e está no G4 do Brasileirão – o time é o quarto colocado com 59 pontos.

Valorizado, o treinador já foi procurado pela direção do Goiás para renovar, mas ele diz que aguardará o desfecho da Série A para se decidir. Até mesmo uma possível classificação do Goiás à Libertadores de 2014 não será decisiva para a sua permanência em Goiânia. A ambição do clube é que pesará.

– Disputar a Libertadores com o Goiás é uma grande oportunidade. Mas confesso que isso não será determinante para renovar, o fato de conseguir a vaga ou não conseguir a vaga. Acho que o trabalho foi bem executado, que tivemos uma cumplicidade com a direção, com os atletas. Então, há um interesse em um renovação, um interesse para que a gente possa continuar, mas ainda vamos conversar ainda, analisar e verificar até onde o Goiás quer ir, de que maneira a gente pode ter esse orçamento para o ano que vem, qual serão as nossas perspectivas – destacou o jogador, antes de completar:

– É uma série de coisas, de detalhes que nós temos que conversar para ter uma definição para ter uma continuidade ou não nesse projeto do Goiás – disse o técnico, em entrevista ao LANCE!Net.

O treinador de 42 anos se valorizou com o bom trabalho que tem desempenhado no Goiás, clube pelo qual ainda soma o Estadual e a Série B de 2012. A sua carreira ainda é curta, pois Enderson começou como técnico em 2005, ao comandar o time juvenil do Atlético-MG. Na sequência, foi técnico do time júnior do Cruzeiro, auxiliar no Ipatinga, técnico na base do América-MG e das equipes Sub-20 e Sub-23 do Internacional antes de, em 2011, ser contratado como auxiliar fixo do Fluminense, tendo comandado o time principal por 13 jogos.

– Algumas pessoas já entraram em contato com o meu representante, que me quis falar alguma coisa. Mas eu, de maneira alguma, quis conversar, pois nesse momento o foco é em cima daquilo que é importante para a minha carreira, que é o Goiás. Caso exista alguma perspectiva de definição em breve, nós poderemos verificar alguma possibilidade. No momento, não tenho participação em nada – destacou Enderson, que se vê como um dos representantes relevantes da nova geração de técnicos do futebol brasileiro.

BATE-BOLA
Enderson Moreira
Técnico do Goiás, em entrevista ao LANCE!Net.

1-O seu contrato termina em dezembro. A diretoria do Goiás já o procurou para uma renovação?

Já tive um primeiro contato com a direção. Eles colocaram que desejam a minha permanência para 2014, mas nada foi conversado em termos de números, de perspectivas e de planejamento. Até porque nós temos esses jogos e sabemos que se a gente consegue a vaga para a Libertadores, o planejamento é um e se não consegue, o planejamento é outro. Há um interesse, a gente vai aguardar, vai negociar ainda, mas não tem como avançar muito ainda, em função dessas perspectias que serão geradas em cima daquilo que a gente tem como possibilidade para o ano que vem.

2-Muitos técnicos jovens estão realizando bons trabalhos, como Gilmar Dal Pozzo (Chapecoense) e Sidney Moraes (Icasa). Você se considera como parte de uma nova safra de treinadores?

Acho que sim. Tive a oportunidade de trabalhar na base do Atlético-MG com o Marcelo (Oliveira, hoje treinador do Cruzeiro) e fui rival do Ney Franco na base muitas vezes. São técnicos já consolidados. Mas acho que me encaixo nesta nova geração que está surgindo, sim.

Técnico do Goiás ainda acredita em vaga na Libertadores