icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/06/2014
07:54

O técnico Vagner Mancini, que assumiu a equipe do Botafogo a poucos dias da estreia do time no Campeonato Brasileiro, demorou a encontrar uma formação que lhe agradasse. Especialmente, no meio de campo. E o pior, quando achava que o time tinha encaixado, um dos meias se machucava, fazendo com que o comandante fosse obrigado a mudar até mesmo a forma de o alvinegro atuar.

Com o passar das rodadas, o torcedor do Botafogo até aprendeu a escalação do time. Porém, quando chega a vez de citar o armador... Quem é o titular? O jovem Daniel, que dá a velocidade que Mancini tanto cobra? Ou seria Carlos Alberto, que agrega experiência, mas que atuou apenas uma vez?

Desde a volta aos trabalhos, após os 15 dias de férias, na segunda-feira da semana passada, os jogadores têm sido exigidos nos trabalhos físicos. Apesar de ter realizado alguns treinos com bola, Mancini ainda não deu mostras sobre o time que deverá reiniciar o Campeonato Brasileiro.

A julgar pelas preferências do técnico na primeira parte do Brasileirão, Daniel, um dos artilheiros do time na competição – com três gols –, e Carlos Alberto, que atuou apenas uma vez e se lesionou, saem na frente por uma disputa. O primeiro ganhou a posição de Jorge Wagner, que atravessa má fase desde a eliminação da equipe na Libertadores.

Preocupado em dar uma dinâmica maior ao meio de campo, Mancini também tirou Gabriel do setor de marcação e improvisou o lateral-direito Edilson. Ainda é cedo para dizer se será mantido no setor, mas o treinador elogiou muito o jogador.

Ainda correm por fora para atuar no setor, o jovem Gegê e o recém-contratado João Gabriel.