icons.title signature.placeholder Walace Borges
01/04/2014
21:22

O Flamengo não terá a menor facilidade no confronto contra o Emelec (EQU) nesta quarta-feira. E quem está mais do que ciente disso é o goleiro Felipe, que já atuou contra o time equatoriano no George Capwell em 2012. Na ocasião, o Rubro-Negro foi derrotado por 3 a 2 e complicou de vez a vida na Libertadores. Muralha, Negueba e Welinton também estavam no elenco, mas eram reservas.

Para o arqueiro do Flamengo, as condições do estádio e a proximidade da torcida são os fatores que mais complicarão o Rubro-Negro na partida. Ele também criticou a luminosidade do local.

- Lembro bem de lá, até porque tive dificuldades para enxergar com a luminosidade ruim. É apertado, a torcida faz pressão e em 2012 não conseguimos sair com a vitória. Mas estou confiante para essa partida e agora é o momento da Libertadores. Esse é o jogo importante, é a hora - afirmou o então capitão do Flamengo, que diz querer tirar o Emelec dos fantasmas do passado.

- Temos fantasmas para exorcizar e tomara que o Emelec seja um deles amanhã (quarta-feira). Mas fora isso, estamos aqui para vencer e isso é muito importante. Pelo menos um empate nos deixa vivos na competição.