icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/03/2014
18:53

O diário oficial da União Europeia publicou, no último dia 7 de março, três cartas contra contra Real Madrid, Barcelona, Athletic Bilbao, Osasuna, Valencia, Elche e Hércules. Os sete clubes espanhóis são acusados de receberem e encobrirem ajudas públicas que violam as normas continentais, de acordo com o diário "AS".

A investigação começou em dezembro do ano passado. Na ocasião, o governo espanhol enviou um documento à UE para rebater as acusações. O organismo internacional não se convenceu e, em seguida, estabeleceu prazo de um mês (7 de abril) para os clubes citados apresentem suas justificativas e defesas.

A comissão da União Europeia julgará novamente os casos e, conforme o resultado, pode obrigar os clubes a devolverem o valor das contribuições recebidas.

E MAIS

HOME: Veja as últimas notícias do futebol internacional
União Europeia suspeita de irregularidades no novo Bernabéu

Na primeira carta, o órgão máximo do Velho Continente acusa Real Madrid, Barça, Osasuna e Athletic de privilégios fiscais. Enquanto os demais clubes tributam 30% para o governo espanhol, os três primeiros pagariam 25% e o último 21%, de acordo com as regras do País Basco.

Na segunda, a UE alega que, em 1998, o Real Madrid cedeu 30 mil metros quadrados do Centro de Treinamentos à prefeitura da capital espanhola. Em troca, recebeu dois terrenos (local que planeja erguer um novo estádio). Em 2003, a Câmara Municipal considerou que aquela terra não poderia ser doada a uma entidade privada e, por isso, deveria recompensar os merengues.

Apenas em 2011, as partes chegaram a uma compensação, no entanto, o valor já tinha aumentado em 3.700%. Para a UE, o governo espanhol tem a obrigação de reaver os valores do beneficiário, no caso, o Real Madrid.

Por fim, a União Europeia cobra explicações de empréstimos a Valencia, Hércules e Elche no total de 118 milhões de euros (R$ 386,4 milhões).