icons.title signature.placeholder Bruno Andrade e Lucas Faraldo
19/07/2014
07:40

Mais de um mês de estudos, treinamentos intensivos e testes táticos. Mano Menezes teve tempo de sobra durante a pausa para a Copa do Mundo para desenhar o time ideal do Corinthians. Neste período, Luciano desbancou Romarinho, Romero e Renato Augusto e se firmou no ataque ao lado de Petros, Jadson e Guerrero.

Veloz e habilidoso, Luciano chamou a atenção com gols nos jogos-treino. Na última quinta-feira, contra o Internacional, se movimentou bastante, deu assistência para o tento de Fagner, só que perdeu uma chance clara de aumentar o placar na Arena Corinthians.

Mas até quando o camisa 18, visto como a opção menos badalada do setor ofensivo, permanecerá entre os titulares? A concorrência, que já era acirrada na parada do Brasileirão, aumentou com a chegada do meia-atacante Lodeiro.

Hoje, o principal "rival" de Luciano é Romarinho. Artilheiro do Timão no ano, com 12 gols, ele perdeu a titularidade enquanto se recuperava de um trauma no pé direito. Mas ainda tem moral com os torcedores.

O paraguaio Ángel Romero tem crescido nos últimos treinos. Porém, ainda não tem a confiança do treinador. Mano quer que o jogador aprimore a forma física antes de ganhar uma oportunidade no time titular.

No novo esquema idealizado por Mano, Renato Augusto é outro que brigará por espaço com Luciano, já que os meias Jadson e Petros estão em alta. Livre de lesões, o camisa 8 também tem se destacado nos treinamentos, com gols e assistências.

Romarinho, Romero e Renato Augusto, todos brigam com unhas e dentes pela titularidade, mas quem deverá mesmo dar "dor de cabeça" para Mano Menezes é Lodeiro. Indicado pelo próprio treinador, o uruguaio se encaixaria perfeitamente no esquema 4-2-3-1, no lugar de Luciano – no lado direito do ataque.

– Tento me adaptar com todos, todos são grandes jogadores, são jogadores novos, que querem ficar com a bola, gostam de conduzir e têm velocidade. Tento jogar com todo mundo do mesmo jeito, sem mudar muito as minhas características. Com Luciano, Romarinho ou Romero, sempre vou tentar me ajustar para jogar da melhor maneiro possível – analisou Guerrero, única referência do setor ofensivo.

– Se eu entender que time é melhor com A, vai jogar A. Os jogadores são inteligentes de saber que só se disputa um Brasileirão com um grupo qualificado. Às vezes, grandes jogadores não começam jogando, mas, quando chamados, dão resposta – complementou Mano Manezes, logo após a vitória em cima do Internacional.

Os recados do titular absoluto e do chefe estão aí. Que vença o melhor. Boa sorte!