icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
23/07/2013
15:48

Apesar de ter sido eliminado pelo eventual campeão Bayern de Munique na última Liga dos Campeões, a Juventus não pode reclamar do valor ganho para disputar a competição. Afinal, a bicampeã italiana abocanhou 65,3 milhões de euros (R$ 191,3 milhões), valor superior ao recebido pelos próprios bávaros, que ficaram com R$ 160 milhões.

A diferença se dá por conta de um detalhe curioso nas regras de distribuição do dinheiro de premiação da Champions. O valor total dado aos clubes vem basicamente de duas fontes: contratos de TV e patrocínios. Ao invés de juntar tudo, a Uefa separa o que é recebido através dos direitos de imagens e distribui por país. Por exemplo, o valor dado pelos contratos adquiridos na Inglaterra ficam apenas com os clubes ingleses.

Um dos contratos mais lucrativos do novo triênio é o feito com a Sky Italia, que substitui a Mediaset como "casa" da Liga dos Campeões na Velha Bota. Outro fator que contribuiu para o aumento do dinheiro recebido pela Juventus foi o fato de que a Itália perdeu lugares na última Champions e apenas a própria Velha Senhora e o Milan disputaram o torneio. Por isso, a Juve só precisou dividir o dinheiro com os Rossoneri, ao contrário de ingleses e espanhóis que precisaram partilhar o valor em quatro clubes cada.

Dos 65,3 milhões de euros recebidos pela Juventus, 44,8 milhões vieram através desse novo contrato de TV, com apenas 20,5 milhões de euros entrando nos cofres bianconeri por conta da performance do clube dentro de campo na última Liga dos Campeões.

Apesar de ter sido eliminado pelo eventual campeão Bayern de Munique na última Liga dos Campeões, a Juventus não pode reclamar do valor ganho para disputar a competição. Afinal, a bicampeã italiana abocanhou 65,3 milhões de euros (R$ 191,3 milhões), valor superior ao recebido pelos próprios bávaros, que ficaram com R$ 160 milhões.

A diferença se dá por conta de um detalhe curioso nas regras de distribuição do dinheiro de premiação da Champions. O valor total dado aos clubes vem basicamente de duas fontes: contratos de TV e patrocínios. Ao invés de juntar tudo, a Uefa separa o que é recebido através dos direitos de imagens e distribui por país. Por exemplo, o valor dado pelos contratos adquiridos na Inglaterra ficam apenas com os clubes ingleses.

Um dos contratos mais lucrativos do novo triênio é o feito com a Sky Italia, que substitui a Mediaset como "casa" da Liga dos Campeões na Velha Bota. Outro fator que contribuiu para o aumento do dinheiro recebido pela Juventus foi o fato de que a Itália perdeu lugares na última Champions e apenas a própria Velha Senhora e o Milan disputaram o torneio. Por isso, a Juve só precisou dividir o dinheiro com os Rossoneri, ao contrário de ingleses e espanhóis que precisaram partilhar o valor em quatro clubes cada.

Dos 65,3 milhões de euros recebidos pela Juventus, 44,8 milhões vieram através desse novo contrato de TV, com apenas 20,5 milhões de euros entrando nos cofres bianconeri por conta da performance do clube dentro de campo na última Liga dos Campeões.