icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
13/04/2014
18:16

A tradição falou mais alto na final do interior do Campeonato Paranaense. O Londrina derrotou o Maringá nos pênaltis, após segurar o empate por 1 a 1 no tempo regulamentar. O Tubarão sagrou-se tetracampeão do torneio, e mandou a Zebra, que disputava a Série A pela primeira vez nos quatro anos de história, pastar.

O primeiro tempo do jogo teve todos os ingredientes de uma grande final. Foi movimentado, teve polêmica, gols e chances múltiplas para ambas as equipes. Logo no lance que abriu a partida, o camisa 10 Max, do Maringá, carimbou o travessão adversário. Empurrado pela força das arquibancadas, o time da casa fez pressão nos primeiros minutos. Mas foi a equipe visitante que abriu o placar.

Em jogada individual, Maicon Silva chamou a marcação para dançar, invadiu a área e marcou um golaço a favor do Londrina, aos 27 minutos do primeiro tempo. Mas o desânimo no Willie Davids durou apenas três minutos. Logo depois, Cristiano subiu de cabeça, tornou-se artilheiro isolado do torneio com 10 gols, e deixou tudo igual.

Na etapa final, com medo de sofrer o gol derradeiro, ambas as equipes diminuíram o ritmo. O Maringa foi melhor, e obrigou o goleiro Vitor a grandes defesas. Já na reta final, aos 40 minutos, o meia Max invadiu a área e foi derrubado. O árbitro deixou a partida sair.

Nos pênaltis, o Maringá teve o melhor início possível. Ednaldo começou defendendo a cobrança de Rone Dias. Em seguida, Max colocou a Zebra à frente. Na terceira série, Vitor defendeu cobrança de Fabio Martins.

O placar marcava 4 a 3 para o Londrina, quando Cristiano pegou a bola para cobrar a favor do Maringá. Cabia ao artilheiro do campeonato manter os anfitriões na disputa. Mas na tentativa de tirar demais do camisa 1 adversário, chutou para fora. O título ficou com o Tubarão, que engoliu a zebra na disputa de pênaltis.