icons.title signature.placeholder Jonas Moura
21/11/2014
17:06

Maria Cristina Victorino Schmidt, de 57 anos, ainda tenta digerir a confusão que se instalou em uma faculdade particular de Caruaru (PE), no último domingo, onde o marido, o ex-jogador da Seleção Brasileira de basquete Oscar Schmidt (56), chegou a ser vaiado por um grupo de estudantes, em palestra que ministrava sobre o tema "obstinação". Mas ela acredita que o fato não irá prejudicar a imagem do "Mão Santa".

Em redes sociais, alunos afirmaram que Oscar se irritou por causa de falhas em alguns equipamentos e até proferiu ofensas aos presentes. Maria Cristina confirma que a estrutura do local deixou a desejar, mas nega que o palestrante tenha faltado com respeito ao público ou aos organizadores. Os preços custaram entre R$ 60 e R$ 70.

– Falaram que ele ofendeu os alunos, mas é mentira. Ele tem o jeitão dele, que todo mundo conhece. Pediu que as pessoas fizessem silêncio, porque não paravam de falar. Ele sempre fala isso por onde passa, e as pessoas respeitam. Essa semana, foram cinco palestras. Por que só em Caruaru aconteceu isso? – questionou Cristina, em entrevista ao LANCE!Net.

Antes de a exposição começar, Oscar não conseguiu conectar o seu notebook ao projetor de slides. Para tentar resolver o problema, foi sugerido que ele transferisse o material para um pendrive. Mas, segundo ela, o oferecido tinha 2 GB, o que não era suficiente para armazenar todo o conteúdo da palestra. Cristina também não escondeu a mágoa com a rede de ensino, a Fadire, que divulgou nota falando em "grosseria" e culpando Oscar pela demora: a palestra estava agendada para às 16h, mas só começou às 18h.

– A pessoa que nos buscaria só chegou às 17h. Ele não teve culpa nenhuma. Depois, nos largaram no hotel – reclamou.

De acordo com Cristina, o marido está abalado e não quer comentar o assunto. Desde a última quinta-feira, quando os fatos ganharam repercussão, ela tem atendido as ligações feitas a ele. Diz que a família e as pessoas próximas ficaram inconformadas com os comentários que circularam na internet. E reclamou que nem todos os fatos vem sendo explicados de maneira correta.

– Ainda não consegui entender direito o que aconteceu. Fico toda hora pensando. Foi horrível. Estamos muito chateados. Só queria que aquela palestra acabasse. Mas, no fim, quem ficou até cantou o hino nacional com ele. Isso ninguém fala. O Oscar sempre se emociona nessa hora, e o público se emocionou junto. Quem saiu não estava interessado. Foi uma falta de respeito – disse.

Depois do incidente em Caruaru, Oscar ministrou outra palestra, na Praia de Cumbuco, no Ceará, na última quinta-feira. Segundo Cristina, ele atendeu a todos que pediram para tirar fotos e ficou satisfeito com a receptividade dos presentes. A agenda do "Mão Santa", que desde 2011 luta contra um tumor no cérebro, segue ativa, com palestra agendada para Recife, no dia 26. Em Caruaru, ele recebeu R$ 40 mil para participar do evento.

– (Caruaru) vai ficar para trás. O Oscar já foi xingado em jogos, há quem não goste dele e sempre foi assim. Ele se abalava por causa disso? É claro que não. Não vai ser agora – disse a esposa.