icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
13/12/2013
16:53

Em nota oficial nesta sexta-feira, a Odebrecht divulgou que os três guindastes que ainda estavam parados, para inspeção da perícia, foram liberados para uso nas obras da Arena Corinthians. A determinação foi feita pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Há cerca de um mês, cinco de oito guindastes que haviam sido interditados pela Defesa Civil foram liberados para a sequência da construção do estádio de abertura da Copa do Mundo de 2014.

No último dia 27 de novembro, o guindaste utilizado para a colocação da última peça de cobertura do estádio desabou, vitimando dois operários que trabalhavam nas obras. Os destroços do guindaste tombado ainda interditam 5% das obras, mas serão retirados no dia 15 de janeiro. Um mês depois, em 15 de fevereiro, a expectativa é que esteja tudo pronto para o içamento da nova peça e a finalização da cobertura atualmente comprometida.

No início de dezembro, o HD com informações sobre o guindaste que desabou teve cópias distribuídas.O guindaste usado para colocar a última peça da cobertura da Arena Corinthians possuía um mecanismo de armazenagem de informações de operação, uma espécie de "caixa-preta", e a Polícia solicitou o material. Três cópias foram feitas, sendo que uma está com o Instituto de Criminalística; outra com a Locar - empresa terceirizada responsável pelo guindaste - e a última foi embarcada para a Alemanha, sede da Liebherr, empresa fabricante do guindaste, que ficou de elaborar um parecer e enviar à Polícia. Os resultados ainda são aguardados.