icons.title signature.placeholder Bruno Andrade
icons.title signature.placeholder Bruno Andrade
09/07/2013
10:56

Companheiro na seleção de Guiné Equatorial de Claudiney Rincón, que faleceu vítima de malária no início da semana, o brasileiro Diouzer da Cruz dos Santos, o Dio, de 26 anos, foi internado na última segunda-feira também com os sintomas da doença.

Assim como Rincón, Diouzer contraiu malária quando atuava pela seleção de Guiné Equatorial. O meia, atualmente sem clube, jogou pela equipe africana em dois jogos no mês de junho pelas Eliminatórias da Copa do Mundo (derrota por 2 a 1 para Cabo Verde e empate por 1 a 1 com a Tunísia).

Em entrevista ao LANCE!Net, Altair Machado, empresário do jogador, revelou que a situação do seu cliente não é tão grave. Ele está realizando tratamento especial em um hospital de Maceió (AL).

- Infelizmente, o Dio também contraiu malária. Ele não se sentiu bem no domingo, começou a vomitar, a sentir dores no corpo. Mas, felizmente, a situação dele é menos grave. O Diouzer está melhorando, e tem a possibilidade de melhorar ainda mais. Existe a chance dele ter alta já nesta semana, vamos ver. Ele começou rápido o tratamento - explicou Altair.

Além de Rincón e Diouzer, outro brasileiro naturalizado guiné-equatoriano contraiu malária no períodos de partidas na África. Trata-se do veterano goleiro Danilo, que defende o Alecrim (RN). O jogador, de 31 anos, está internado em estado grave desde a semana passada na Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Giselda Trigueiro, em Natal.


Claudiney Rincón morreu na última segunda-feira vítima de malária (Foto: Divulgação)

Por causa dos três casos de malária no elenco, a Federação de Futebol de Guiné Equatorial realizou uma reunião extraordinária na manhã desta terça-feira para tratar do assunto. Todos os jogadores que defenderam a seleção no último mês terão de realizar exames preventivos nos próximos dias, entre eles, o também brasileiro Jônatas Obina, que recentemente jogou no Atlético-MG.

Ainda de acordo com Altair Machado, representantes da seleção devem desembarcar no Brasil nesta semana para acompanhar os casos de Rincón, Danilo e Diouzer. A Federação estuda a possibilidade de ajudar financeiramente a família de Rincón, que morava em Sorocaba, interior de São Paulo.

SINTOMAS DA MALÁRIA

A malária caracteriza-se pela ocorrência de um quadro infeccioso cujos sintomas são febre aguda, dor de cabeça, dores pelo corpo, fraqueza e calafrios. Ela é transmitida pela fêmea do mosquito do gênero Anopheles e pode evoluir, rapidamente, para um estágio mais grave. De acordo o Ministério da Saúde, a doença é reconhecida como grave problema de saúde pública no mundo, atingindo quase metade da população em mais de 109 países. As estimativas de incidência são de 300 milhões de novos casos e 1 milhão de morte por ano.

GUINÉ EQUATORIAL À BRASILEIRA

A seleção de Guiné Equatorial iniciou 2013 com dez brasileiros naturalizados no elenco: Danilo (goleiro), Claudiney Rincón (zagueiro/volante), Judson dos Santos (meia), Diouzer (meia), Ricardinho (atacante), William (lateral), Florian Claudino (zagueiro), Jônatas Obina (atacante), Ygor da Silva (atacante) e Neto (zagueiro).

Para Altair Machado, empresário de Diouzer, a opção por defender a seleção africana é vantajosa no ponto de vista financeiro, motivo que chamou a atenção dos brasileiros.

- Eles pagam um valor para o jogador obter a dupla nacionalidade. Depois, pagam por partida. A Federação também arca com as despesas de viagem, hospedagem, enfim, o jogador não tem custo. Eles gostam, nunca ouvi reclamação - afirmou.

Companheiro na seleção de Guiné Equatorial de Claudiney Rincón, que faleceu vítima de malária no início da semana, o brasileiro Diouzer da Cruz dos Santos, o Dio, de 26 anos, foi internado na última segunda-feira também com os sintomas da doença.

Assim como Rincón, Diouzer contraiu malária quando atuava pela seleção de Guiné Equatorial. O meia, atualmente sem clube, jogou pela equipe africana em dois jogos no mês de junho pelas Eliminatórias da Copa do Mundo (derrota por 2 a 1 para Cabo Verde e empate por 1 a 1 com a Tunísia).

Em entrevista ao LANCE!Net, Altair Machado, empresário do jogador, revelou que a situação do seu cliente não é tão grave. Ele está realizando tratamento especial em um hospital de Maceió (AL).

- Infelizmente, o Dio também contraiu malária. Ele não se sentiu bem no domingo, começou a vomitar, a sentir dores no corpo. Mas, felizmente, a situação dele é menos grave. O Diouzer está melhorando, e tem a possibilidade de melhorar ainda mais. Existe a chance dele ter alta já nesta semana, vamos ver. Ele começou rápido o tratamento - explicou Altair.

Além de Rincón e Diouzer, outro brasileiro naturalizado guiné-equatoriano contraiu malária no períodos de partidas na África. Trata-se do veterano goleiro Danilo, que defende o Alecrim (RN). O jogador, de 31 anos, está internado em estado grave desde a semana passada na Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Giselda Trigueiro, em Natal.


Claudiney Rincón morreu na última segunda-feira vítima de malária (Foto: Divulgação)

Por causa dos três casos de malária no elenco, a Federação de Futebol de Guiné Equatorial realizou uma reunião extraordinária na manhã desta terça-feira para tratar do assunto. Todos os jogadores que defenderam a seleção no último mês terão de realizar exames preventivos nos próximos dias, entre eles, o também brasileiro Jônatas Obina, que recentemente jogou no Atlético-MG.

Ainda de acordo com Altair Machado, representantes da seleção devem desembarcar no Brasil nesta semana para acompanhar os casos de Rincón, Danilo e Diouzer. A Federação estuda a possibilidade de ajudar financeiramente a família de Rincón, que morava em Sorocaba, interior de São Paulo.

SINTOMAS DA MALÁRIA

A malária caracteriza-se pela ocorrência de um quadro infeccioso cujos sintomas são febre aguda, dor de cabeça, dores pelo corpo, fraqueza e calafrios. Ela é transmitida pela fêmea do mosquito do gênero Anopheles e pode evoluir, rapidamente, para um estágio mais grave. De acordo o Ministério da Saúde, a doença é reconhecida como grave problema de saúde pública no mundo, atingindo quase metade da população em mais de 109 países. As estimativas de incidência são de 300 milhões de novos casos e 1 milhão de morte por ano.

GUINÉ EQUATORIAL À BRASILEIRA

A seleção de Guiné Equatorial iniciou 2013 com dez brasileiros naturalizados no elenco: Danilo (goleiro), Claudiney Rincón (zagueiro/volante), Judson dos Santos (meia), Diouzer (meia), Ricardinho (atacante), William (lateral), Florian Claudino (zagueiro), Jônatas Obina (atacante), Ygor da Silva (atacante) e Neto (zagueiro).

Para Altair Machado, empresário de Diouzer, a opção por defender a seleção africana é vantajosa no ponto de vista financeiro, motivo que chamou a atenção dos brasileiros.

- Eles pagam um valor para o jogador obter a dupla nacionalidade. Depois, pagam por partida. A Federação também arca com as despesas de viagem, hospedagem, enfim, o jogador não tem custo. Eles gostam, nunca ouvi reclamação - afirmou.