icons.title signature.placeholder Guilherme Borini
13/06/2014
20:52

A seleção da Nigéria realizou um treino aberto ao público, na tarde desta sexta-feira, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas. Inicialmente marcado para começar às 16h, os nigerianos atrasaram uma hora para chegar ao local do trabalho. Segundo integrantes da delegação, a demora foi por conta de problemas de logística da equipe, que está hospedada em um hotel a cinco minutos do Brinco. A animação dos 2,2 mil torcedores presentes parece não ter contagiado os jogadores, que estavam tímidos e interagiram pouco com o público.

Todos os ingressos colocados à disposição se esgotaram em cinco minutos por meio de um cadastro no site da Prefeitura de Campinas. Antes do treino, por volta das 15h, a torcida já entrava no estádio com a animação em alta. Do lado de dentro do Brinco de Ouro, teve hino do Guarani - dono da casa -, cantos da torcida do Bugre, e uma mistura do clube com a seleção africana: “A, E, I, Nigéria é Guarani”.

Logo que subiram ao gramado, os nigerianos realizaram a primeira parte do treinamento na metade do campo que tinha menos torcida por perto. Foram apenas trabalhos de dois toques em campo reduzido, sem chutes ao gol. Na segunda metade do treino, os jogadores mudaram de lado de campo, mas ainda assim sem interação com a torcida, que tentava se animar. No final do treino, mais de metade da torcida já havia deixado o estádio.

Os únicos momentos de emoção que contagiaram o público foram quando câmeras filmavam ou fotografavam os torcedores, ou até mesmo quando a bola acertava os profissionais de imprensa atrás do gol. Mas o ápice foi a série de invasão de garotos ao gramado.

Fotógrafos fazem a festa da torcida no Brinco de Ouro (Foto: Guilherme Borini)

TORCEDORES MIRINS INVADEM O CAMPO E PARALISAM O TREINO

Diante da monotonia do treino, dois garotos começaram a série de invasões ao gramado. Os dois primeiros tinham um objetivo claro: pegar uma das bolas do treinamento. Ambos interceptados por seguranças.

Minutos depois, um “ataque em série”. Seis meninos entraram correndo no gramado ao mesmo tempo, dando um enorme trabalho à equipe de segurança. Um até conseguiu chegar a um jogador e implorou pela camisa, mas sem sucesso.

Parecia que a situação fugiria do controle e o treino até foi paralisado por alguns minutos. Até o final, foram outras três tentativas frustradas, mas sem chegar aos jogadores. 

Após invadir o gramado, garoto é retirado do gramado por seguranças (Foto: Guilherme Borini)