icons.title signature.placeholder Luiz Gustavo Moreira, Vinícius Perazzini e Walace Borges
icons.title signature.placeholder Luiz Gustavo Moreira, Vinícius Perazzini e Walace Borges
02/07/2013
07:31

Em pelo menos três oportunidades em um ano, Seedorf demonstrou muito profissionalismo para se apresentar ao Botafogo com as melhores condições físicas possíveis. No ano passado, emendou a temporada inteira pelo Milan com o segundo semestre alvinegro, realizando treino físico nas férias, para poder atuar logo pelo Glorioso.

Já nas férias do ano passado para a atual temporada, Seedorf levou uma cartilha do Botafogo, com determinados cuidados, para a Europa. Mesmo longe do clube, o holandês seguiu à risca o que foi pedido e voltou "voando" para o Estadual, sendo campeão e eleito o melhor jogador da competição.

- Logo na minha primeira semana no clube, o Seedorf já chegou falando da própria saúde, dizendo os objetivos que desejava atingir. Isso é legal. Muitas vezes ele falava o que queria fazer e eu dava a minha opinião. Era uma parceria excelente - disse o ex-coordenador médico do Botafogo, Gustavo Magliocca, que por conta de problemas particulares deixou o clube em junho.

Por fim, após a parada do Brasileirão para a Copa das Confederações, Seedorf levou mais uma cartilha para a Europa e voltou com o percentual de gordura mais baixo.

AUTOCONHECIMENTO EVITA PROBLEMAS

Assim como todo ser humano, Seedorf também tem limites. Porém, a consciência dele faz com que saiba até onde ir para não ter lesão. Esse autoconhecimento do corpo impressionou o médico Gustavo Magliocca.

- Outra coisa que ele sempre falava era do cansaço muscular. Nunca forçava. Quando sentia uma mínima dor, pedia para não treinar e a gente segurava. Era fácil trabalhar com ele - comentou Magliocca, recordando que a comissão técnica sempre foi usada por Seedorf como ponto de equilíbrio.

- Ele conversava muito com a gente. Seedorf é uma pessoa muito respeitável. Tivemos muitos diálogos, sempre com o objetivo de atingir o mais alto rendimento. Seedorf também falava muito com a fisiologia, com o (técnico) Oswaldo de Oliveira. Sem dúvidas, foi um tempo de crescimento geral e o Botafogo está muito orgulhoso de ter um jogador assim no elenco - destacou o médico.

Em pelo menos três oportunidades em um ano, Seedorf demonstrou muito profissionalismo para se apresentar ao Botafogo com as melhores condições físicas possíveis. No ano passado, emendou a temporada inteira pelo Milan com o segundo semestre alvinegro, realizando treino físico nas férias, para poder atuar logo pelo Glorioso.

Já nas férias do ano passado para a atual temporada, Seedorf levou uma cartilha do Botafogo, com determinados cuidados, para a Europa. Mesmo longe do clube, o holandês seguiu à risca o que foi pedido e voltou "voando" para o Estadual, sendo campeão e eleito o melhor jogador da competição.

- Logo na minha primeira semana no clube, o Seedorf já chegou falando da própria saúde, dizendo os objetivos que desejava atingir. Isso é legal. Muitas vezes ele falava o que queria fazer e eu dava a minha opinião. Era uma parceria excelente - disse o ex-coordenador médico do Botafogo, Gustavo Magliocca, que por conta de problemas particulares deixou o clube em junho.

Por fim, após a parada do Brasileirão para a Copa das Confederações, Seedorf levou mais uma cartilha para a Europa e voltou com o percentual de gordura mais baixo.

AUTOCONHECIMENTO EVITA PROBLEMAS

Assim como todo ser humano, Seedorf também tem limites. Porém, a consciência dele faz com que saiba até onde ir para não ter lesão. Esse autoconhecimento do corpo impressionou o médico Gustavo Magliocca.

- Outra coisa que ele sempre falava era do cansaço muscular. Nunca forçava. Quando sentia uma mínima dor, pedia para não treinar e a gente segurava. Era fácil trabalhar com ele - comentou Magliocca, recordando que a comissão técnica sempre foi usada por Seedorf como ponto de equilíbrio.

- Ele conversava muito com a gente. Seedorf é uma pessoa muito respeitável. Tivemos muitos diálogos, sempre com o objetivo de atingir o mais alto rendimento. Seedorf também falava muito com a fisiologia, com o (técnico) Oswaldo de Oliveira. Sem dúvidas, foi um tempo de crescimento geral e o Botafogo está muito orgulhoso de ter um jogador assim no elenco - destacou o médico.