icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
12/02/2015
15:57

Um dos maiores treinadores de MMA do mundo, Greg Jackson viveu um tempo longe dos holofotes desde que se envolveu em polêmica onde o presidente do UFC Dana White o acusou de influenciar na carreira do pupilo Jon Jones após o mesmo recusar um confronto com Chael Sonnen em cima da hora, em 2012. Ainda assim ele não foge da imprensa e sempre que solicitado durante seus compromissos junto a seu lutadores atende prontamente os profissionais. Embora ainda não tenha a data oficializada, a organização já confirmou que o próximo rival de Jones é o americano Anthony Johnson.

Nos bastidores do UFC 183, que aconteceu no último dia 31 de janeiro, em Las Vegas (EUA), o treinador que trabalha com nomes como Jones, Carlos Condit, Travis Browne, Donald Cerrone, entre outros, conversou com o LANCE!Net sobre o desafio do atual campeão meio-pesado contra Johnson.

- Vai ser uma luta muito dura. Conheço Anthony muito bem, ele é extramamente duro e temos de trabalhar bastante. Vai ser uma daquelas lutas onde eu diria: 'Não pisque, pois qualquer coisa pode acontecer.' A vitória dele contra Gustafsson não me surpreendeu. Sabia que ele bate muito forte. Sabia que seria o jogo de pernas do Gustafsson, aliado ao boxe, contra a o poder técnico de Anthony. Não fiquei surpreso - explicou.

Ao ser perguntado sobre o caso de doping de Jones para cocaína em teste realizado antes do duelo vencido contra Daniel Cormier, no dia 3 de janeiro, o que gerou muitas polêmicas no mundo do MMA, Jackson preferiu não entrar em detalhes, mas deu sua versão de treinador ao lidar com o caso.

Jones bateu Cormier em sua oitava defesa de título no UFC (FOTO: Getty Images)

- Jones ainda está descansando, mas tenho certeza de que voltará o quanto antes. Apenas quero me certificar de que ele está bem e de que dará os passos necessários para não cometer esse erro novamente. Não sou encarregado de trabalhar sua imagem, apenas o treino para vencer lutas e tento o ajudar da melhor forma que puder. Então... Se ele cometeu um erro, ele terá de fazer o que sentir que é o certo para passar por isso. Não tenho muito com isso, apenas quero o seu bem - finalizou.