icons.title signature.placeholder Bruno Andrade
19/06/2014
19:20

A tradução simultânea, usada para facilitar o trabalho dos jornalistas durante a Copa do Mundo, foi motivo de confusão nesta quinta-feira, na Arena Corinthians. Minutos depois da vitória do Uruguai por 2 a 1 em cima da Inglaterra, pelo Grupo D, o atacante Luis Suárez, eleito o craque da partida, foi convocado para conceder uma rápida entrevista. Mas nem todos os jornalistas conseguiram entender as respostas do jogador, já que o sistema de tradução parou de funcionar no momento.

Suárez respondeu apenas três perguntas, todas em castelhano. As respostas também foram em castelhano, o que causou revolta dos profissionais estrangeiros, principalmente dos ingleses.

- A força que os companheiros me deram nos últimos dias foi impressionante. Também agradeço o povo uruguaio por apostar e confiar em mim - declarou o camisa 9 da Celeste, que, recuperado de uma lesão no joelho esquerdo, marcou os dois gols da Celeste no jogo.

A entrevista de Luis Suárez não foi a única que deu problema na tradução simultânea (português, inglês e espanhol) na Arena Corinthians. As coletivas dos técnicos Oscar Tabárez e Roy Hodgson, das seleções de Uruguai e Inglaterra, respectivamente, também tiveram falhas na tradução para a língua portuguesa. A própria tradutora, ainda durante a coletiva do comandante inglês, chegou a dizer "horrible" (horrível, em português), como forma de desabafo.

Ao término das coletivas, os jornalistas estrangeiros foram obrigados a pedir ajuda para os companheiros de profissão sul-americanos com conhecimento na língua inglesa. Foram cerca de 15 minutos de repasse de informações entre eles.