icons.title signature.placeholder Carlos Alberto Vieira
14/06/2014
18:24

O ambiente em torno da Arena da Amazônia era de muita confraternização entre os torcedores. Enquanto o estádio não era aberto ao público, ingleses e italianos corriam para algum lugar com sombra ou bares com televisão para acompanharem a partida Colômbia e Grécia, a primeira do sábado. Como há vários colombianos e muitos também compraram ingressos para o jogo, todos passaram a torcer pela seleção sul-americana.

De repente surge um grupo vestidos com camisas da Azzurra. São 12.

- Forza squadra Azzurra. Viva Venezuela - gritavam.

Isso não fazia muito sentido. Até a reportagem do L!Net conversar com Fernando, um do grupo:

- Somos venezuelanos filhos de italianos. E acreditamos no sucesso da Itália, é claro. estamos aqui para dar força para a nossa segunda seleção.

- A final será Brasil e Itália, mais uma vez. E vai dar a Itália desta vez - disse o seu colega, que também se chama Fernando.

Para completar o inusitado grupo, havia um que estava com a camisa do Brasil e parecia irmão gêmeo do meia brasileiro Willian. Mesma altura, cor e cabelo. Se quisesse ganharia uns trocados caso se passasse por sósia do brazuca. Acredite: venezuelano, neto de italiano. Torcedor da Itália e que só estava com a camisa do Brasil por zoação.

- Vai dar Itália, é claro. Meus avôs ficarão muito felizes. Eu também.

Pelo visto, o grosso da torcida da Itália em Manaus tem os dois pés na Venezuela.