icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni
28/03/2014
08:02

Destaque do Penapolense, que eliminou o São Paulo nas quartas de final do Campeonato Paulista, o atacante Douglas Tanque vai deixar o Corinthians sem nunca ter jogado um minuto sequer pelo profissional no clube. É que ele tem contrato com o Timão até 19 de abril – mesmo período do empréstimo ao clube de Penápolis – e já decidiu que não vai renovar o vínculo.

Pior: procura outro clube pode parar até no Palmeiras, já que foi incluído com outros sete jogadores de times do interior de São Paulo em uma lista elaborada pelo técnico Gilson Kleina, do rival, como o LANCE!Net noticiou. Até agora, porém, nenhuma negociação foi aberta com seus empresários, da Elenko Sports.

O certo é que o Tanque voltou a chamar a atenção dos corintianos depois de provocar o goleiro tricolor Rogério Ceni, ao converter sua cobrança de pênalti na decisão.

– Rogério falou que ia pegar o meu pênalti. Então pega lá na rede, estamos na semifinal! – disse, ainda no gramado do Morumbi.

Ao LANCE!Net, já sem o sangue quente dos pênaltis decisivos, deixou claro que sente mágoa por nunca ter tido chance no Timão.

– Se quisessem renovar meu contrato, teriam feito isso no ano passado. A torcida sempre acreditou em mim, mas os dirigentes nunca fizeram isso por mim - afirmou.

Douglas chegou ao Corinthians em 2011, com 17 anos de idade, e participou do título da Copa São Paulo em 2012. Foi integrado aos profissionais e tinha porte físico comparado ao de Adriano, o Imperador, que ainda estava no elenco. Mas com Tite nunca teve chance. Em dois anos, foi emprestado a Paraná, Ipatinga, Guaratinguetá e, por fim, Penapolense.

No fim do ano passado, com a lesão de Guerrero, a diretoria alvinegra passou a procurar um centroavante e ele foi chamado às pressas para reintegrar o elenco. Mesmo assim, ficou apenas treinando e, de novo, não jogou.

Joias do Paulista são opções para times grandes

VEJA UM BATE-BOLA EXCLUSIVO COM DOUGLAS TANQUE:

Como está sendo seu dia após a histórica classificação do Penapolense no Morumbi?
Está sendo de muita felicidade, para mim e para todos os meus companheiros. Nós comemoramos bastante depois do jogo, mas agora já estamos começando a focar no duelo contra o Santos no fim de semana. Agora é ter os pés no chão e buscar uma vaga na final do Paulistão.

E a repercussão do feito? Como está nas redes sociais, nas ruas...
Muito grande, sem dúvida. Meu Facebook está bombando. Acho que isso está acontecendo porque nenhum comentarista esportivo acreditava no Penapolense, mas provamos para todo mundo que nosso trabalho é bom e merece respeito.

Você bateu o pênalti com tranquilidade e competência. Como foi aquele momento para você?
Eu estava bastante focado mesmo, fui tranquilo para a bola e bati forte, como eu costumo fazer. O Rogério tentou me atrapalhar, ele disse que iria pegar a bola. Depois do gol, eu respondi para ele: "Então pega lá, a bola está do seu lado". Eu falei daquele jeito porque quis responder para ele, não foi uma zoação. Ele quis mexer comigo, mas eu estava focado. Graças a Deus, consegui fazer o gol.

A torcida do Corinthians, clube com o qual você tem contrato, comemorou muito. Você acompanhou tudo, sabia disso?
Sim, eu sei disso. A torcida do Corinthians gosta muito de mim, mas meu contrato está chegando ao fim (19 de abril) e não ficarei. Agora meu foco é conseguir assinar contrato com algum time grande.

Acha possível que, depois do seu desempenho no Paulistão, o Corinthians tente a renovação do seu contrato para mantê-lo?
Não, não tenho esperança de nada. Se eles quisessem renovar meu contrato, eles teriam feito isso no ano passado. A torcida sempre acreditou em mim, mas os dirigentes nunca fizeram isso por mim.

O carinho do torcedor é pelo desempenho contra os rivais, não?
Acho que sim. Eu fiz gol no Palmeiras na Série B (pelo Guaratinguetá), fiz gol contra o Santos (pelo Penapolense) e, agora, bati o pênalti contra o São Paulo em um jogo que nós nos classificamos. É muito bom fazer gol em time grande, Deus me abençoou com isso. Quero manter isso para um dia ter chance num grande também.

O pessoal do Palmeiras sondou seus empresários? Está sabendo de alguma coisa?
Não, até onde eu sei não chegou nada do Palmeiras. Nem para mim nem para meu empresário, ele teria me falado. É batalhar para ser verdade no Palmeiras ou em outro grande clube brasileiro.

Acha que daria certo no Palmeiras, por exemplo?
Futebol é isso, se não dá certo num clube, dá certo em outro. É normal isso. Um exemplo disso é o Jadson, que não estava bem no São Paulo e está arrebentando no Corinthians. Comigo pode acontecer a mesma coisa. Mas não teve nada de Palmeiras.