icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
07/07/2013
15:10

Antes do clássico San-São começar, neste domingo, cerca de 50 torcedores do São Paulo estiveram em frente do portão 1 do estádio do Morumbi para protestar contra a cúpula que administra o tricolor.

Agendada por meio da rede social Facebook, a manifestação tinha como foco criticar o comando do presidente Juvenal Juvêncio à frente do São Paulo, e também de outros dirigentes, como o diretor de futebol Adalberto Baptista. O protesto foi programado para começar às 13h45, ou seja, cerca de duas horas antes do jogo diante do Santos.

Ao chegar ao estádio do Morumbi, o ônibus são-paulino passou pelos manifestantes. O vice-presidente de futebol do Tricolor, João Paulo de Jesus Lopes, acredita que os protestos sem violência são válidos em um país democrático.

- Desde que ela seja pacífica, ela é sempre muito respeitada - declarou o dirigente.

Antes do clássico San-São começar, neste domingo, cerca de 50 torcedores do São Paulo estiveram em frente do portão 1 do estádio do Morumbi para protestar contra a cúpula que administra o tricolor.

Agendada por meio da rede social Facebook, a manifestação tinha como foco criticar o comando do presidente Juvenal Juvêncio à frente do São Paulo, e também de outros dirigentes, como o diretor de futebol Adalberto Baptista. O protesto foi programado para começar às 13h45, ou seja, cerca de duas horas antes do jogo diante do Santos.

Ao chegar ao estádio do Morumbi, o ônibus são-paulino passou pelos manifestantes. O vice-presidente de futebol do Tricolor, João Paulo de Jesus Lopes, acredita que os protestos sem violência são válidos em um país democrático.

- Desde que ela seja pacífica, ela é sempre muito respeitada - declarou o dirigente.