icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
23/07/2013
17:56

A torcida do São Paulo organiza, por meio das redes sociais, um protesto para esta quarta-feira, às 19h, no portão principal do estádio do Morumbi, antes do jogo entre o Tricolor e o Internacional, em confronto antecipado da 12ª rodada do Campeonato Brasileiro por conta da participação do clube paulista na Copa Suruga.

No anúncio do evento, publicado no Facebook, os organizadores planejam se manifestar contra a atual cúpula são-paulina, com foco no presidente Juvenal Juvêncio. Além disso, fazem uma crítica às torcidas uniformizadas.

Após a derrota para o Cruzeiro, a sétima seguida, um recorde histórico do São Paulo, membros da Tricolor Independente e da Dragões da Real impediram o protesto de torcedores comuns que acontecia no portão principal do Morumbi e criticava Juvenal Juvêncio e o diretor de futebol Adalberto Baptista. As organizadas assumiram a manifestação, protestaram contra os jogadores, vetaram críticas à diretoria e repudiaram o pré-candidato de oposição Marco Aurélio Cunha, ex-superintendente de futebol do clube.

No dia seguinte, membros da organizada Tricolor Independente tiveram acesso permitido e participaram de um churrasco com dirigentes e conselheiros na sede social do clube. Houve confusão entre aliados do presidente Juvenal Juvêncio e oposicionistas, partidários de Marco Aurélio Cunha.

Protestos no Morumbi estão se tornando rotina. Depois da derrota para o Goiás, no dia 5 de junho, cerca de 30 torcedores foram até o portão de entrada e gritaram pelo nome de Muricy Ramalho. No clássico contra o Santos, um outro grupo protestou no local contra o presidente Juvenal Juvêncio e os jogadores. Mais recentemente, na derrota para o Cruzeiro, houve protestos antes e depois do jogo.


A torcida do São Paulo organiza, por meio das redes sociais, um protesto para esta quarta-feira, às 19h, no portão principal do estádio do Morumbi, antes do jogo entre o Tricolor e o Internacional, em confronto antecipado da 12ª rodada do Campeonato Brasileiro por conta da participação do clube paulista na Copa Suruga.

No anúncio do evento, publicado no Facebook, os organizadores planejam se manifestar contra a atual cúpula são-paulina, com foco no presidente Juvenal Juvêncio. Além disso, fazem uma crítica às torcidas uniformizadas.

Após a derrota para o Cruzeiro, a sétima seguida, um recorde histórico do São Paulo, membros da Tricolor Independente e da Dragões da Real impediram o protesto de torcedores comuns que acontecia no portão principal do Morumbi e criticava Juvenal Juvêncio e o diretor de futebol Adalberto Baptista. As organizadas assumiram a manifestação, protestaram contra os jogadores, vetaram críticas à diretoria e repudiaram o pré-candidato de oposição Marco Aurélio Cunha, ex-superintendente de futebol do clube.

No dia seguinte, membros da organizada Tricolor Independente tiveram acesso permitido e participaram de um churrasco com dirigentes e conselheiros na sede social do clube. Houve confusão entre aliados do presidente Juvenal Juvêncio e oposicionistas, partidários de Marco Aurélio Cunha.

Protestos no Morumbi estão se tornando rotina. Depois da derrota para o Goiás, no dia 5 de junho, cerca de 30 torcedores foram até o portão de entrada e gritaram pelo nome de Muricy Ramalho. No clássico contra o Santos, um outro grupo protestou no local contra o presidente Juvenal Juvêncio e os jogadores. Mais recentemente, na derrota para o Cruzeiro, houve protestos antes e depois do jogo.