icons.title signature.placeholder Marcio Porto
05/11/2013
22:35

Um grupo de 60 garotos trajando camisas tricolores e gritando sem parar: "São Paulo! São Paulo! São Paulo!". A cena seria comum se o Tricolor fosse mandar seu jogo no Morumbi, mas acontece em Medellín, onde a equipe de Muricy Ramalho vai enfrentar o Atlético Nacional (COL), nesta quarta-feira, pela Copa Sul-Americana.

Os garotos, que se espremeram do lado de fora do Estádio Atanásio Girardot para recepcionar Rogério Ceni, Luis Fabiano e companhia, fazem parte de uma escolinha de futebol local inspirada na equipe brasileira, chamada Sao Pablo. O uniforme, à exceção do distintivo, é idêntico ao são-paulino e a euforia com que os colombianos cantam o nome do clube não fica devendo em nada para o apoio que os jogadores costumam ter dos fãs mirins quando entram em campo no Brasil.

A escolinha foi criada pelo colombiano Gelvet Garzo (48 anos) em 1999 e hoje conta com 170 alunos, entre 5 e 18 anos. Além de admirador do São Paulo, Gelvet também homenageou seu pai, Pablo, no nome da escola.


Camisa é semelhante à do São Paulo (Foto: Marcio Porto)

- Eu queria homenagear meu pai e o Brasil, que hoje é pentacampeão mundial. E o São Paulo já era poderoso, tinha ganho duas Libertadores, dois Mundiais. Então era o melhor para representar - disse.

Os pequenos colombianos puderam ver seus ídolos já nesta terça-feira, véspera da partida. Isso porque o Tricolor fez o treino de reconhecimento do gramado antes de decidir uma vaga na semifinal da Copa Sul-Americana. A garotada, fiel, gritou o nome do São Paulo mesmo antes de os jogadores desembarcarem no estádio. Só euforia!

Os fãs mirins foram os únicos liberados para acompanhar a atividade do time de Muricy Ramalho, que está em Medellín desde a noite da última segunda-feira. Para quem sofreu uma maratona antes de chegar ao local, o apoio certamente dará um ânimo a mais em busca da vaga na próxima fase.