icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
31/07/2013
11:08

A grave crise que assola alguns clubes espanhóis causou uma grande comoção na última terça-feira. O Mirandés, clube da Segunda Divisão, tinha que pagar 1,3 milhão de euros (R$ 4 milhões) até 23h59 do mesmo dia. Com o tempo passando, jogadores, torcedores e dirigentes fizeram uma "vaquinha" e conseguiram juntar a quantia em menos de cinco horas. Caso isso não fosse alcançado, a diretoria teria que abrir concordata e ir para a Quarta Divisão.

O caso tornou-se grave por causa de uma promessa que não foi cumprida. Estava acordado que Vicente España, importante empresário local, iria fazer o investimento, e tudo ficaria bem. Porém, às 13h (horário local), ele admitiu que não teria condições de fazê-lo.

Durante as horas seguintes, várias reuniões e confusões na sede do clube. Quando o desespero começou a chegar, jogadores, diretores, membros da comissão técnico e empresários locais disponibilizaram-se a ajudar. A poucos minutos do prazo ser esgotado, o final feliz.

Quando tudo estava bem e resolvido, o presidente Ramiro Revuelta mostrou irritação com o empresário Vicente España, e disse que o Mirandés foi enganado. Na temporada passada, o clube ficou na 15ª posição da Segunda Divisão.

A grave crise que assola alguns clubes espanhóis causou uma grande comoção na última terça-feira. O Mirandés, clube da Segunda Divisão, tinha que pagar 1,3 milhão de euros (R$ 4 milhões) até 23h59 do mesmo dia. Com o tempo passando, jogadores, torcedores e dirigentes fizeram uma "vaquinha" e conseguiram juntar a quantia em menos de cinco horas. Caso isso não fosse alcançado, a diretoria teria que abrir concordata e ir para a Quarta Divisão.

O caso tornou-se grave por causa de uma promessa que não foi cumprida. Estava acordado que Vicente España, importante empresário local, iria fazer o investimento, e tudo ficaria bem. Porém, às 13h (horário local), ele admitiu que não teria condições de fazê-lo.

Durante as horas seguintes, várias reuniões e confusões na sede do clube. Quando o desespero começou a chegar, jogadores, diretores, membros da comissão técnico e empresários locais disponibilizaram-se a ajudar. A poucos minutos do prazo ser esgotado, o final feliz.

Quando tudo estava bem e resolvido, o presidente Ramiro Revuelta mostrou irritação com o empresário Vicente España, e disse que o Mirandés foi enganado. Na temporada passada, o clube ficou na 15ª posição da Segunda Divisão.