icons.title signature.placeholder Felippe Rocha
30/12/2013
09:46

As batalhas judiciais após o término do Campeonato Brasileiro estão longe de acabar. Depois do Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) rejeitar o pedido do Vasco para impugnar a partida contra o Atlético-PR, pela última rodada, grupos de torcedores do Vasco devem entrar com ações pedindo, entre outras coisas, a destituição do presidente da CBF, José Maria Marín e o própria impugnação do jogo.

Alguns destes torcedores são os mesmos que, conforme o LANCE! havia noticiado há cerca de dez dias, já entrariam com ação pedindo indenização. Porém, o movimento se ampliou. São quatro grupos sendo orientados pelo advogado Luiz Roberto Leven Siano, especialista em direito esportivo: os torcedores que estavam no estádio, os assinantes de “pay-per-view”, que têm direito a assistir todos os jogos da competição, conselheiros do Vasco e o próprio clube.

– A situação mais grave é a dos torcedores que estavam no estádio. Eles devem pedir uma indenização por danos material e moral, além da destituição dos cargo do presidente da CBF, que é responsável pelo evento, dos presidentes das federações paranaenses e catarinenses e do Atlético-PR – afirmou o advogado.

Segundo Leven Siano, este primeiro pedido cabe apenas aos torcedores que estavam presentes na Arena Joinville:

– A única ação certa é das pessoas que estavam lá, mas nós vamos avaliar tudo. Até se o procurador do STJD, Paulo Schmitt, pela omissão, será incluído como réu. Ele deveria ter denunciado a CBF e recorrido da absolvição do árbitro da partida, Ricardo Marques Ribeiro.

Advogado também dá auxílio ao clube

No dia seguinte ao jogo, que ficou paralisado por 71 minutos devido à briga entre torcedores de Vasco e Atlético-PR na arquibancada da Arena Joinville, Luiz Roberto Leven Siano procurou a diretoria cruz-maltina oferecendo auxílio e está conversando com os advogados do clube.

– Eu procurei o Vasco desde que o evento aconteceu. Desde então, tenho conversado com advogados do Vasco, que me ouviram, seguiram algumas coisas, outras não. Venho colaborando desde que o fato aconteceu. O Roberto (Dinamite) esteve aqui em casa e tenho mostrado que o Vasco tem direito – afirmou.

Leven Siano diz ainda que a CBF também deveria ter sido denunciada depois do episódio.

– Acho inadmissível não ter denunciado a CBF. Agora, o custeio do STJD é da CBF, não sei até que ponto existe independência. Essa é uma das razões que faz com que os torcedores possam impugnar a partida, segundo o Estatuto do Torcedor – ressaltou Leven Siano.