icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/12/2013
14:04

O sábado foi de uma emoção diferente para metade dos 352 torcedores inscritos no “Jogue no Olímpico”. Este foi o número de gremistas que pode atuar no campo do antigo estádio gremista, em evento promovido pelo Tricolor e pela Grêmio Tur, agência de turismo oficial do clube. Três anos depois, a derrota do Internacional para o Mazembe, na semifinal do Mundial de Clubes, não passou sem ser notada. A outra metade vai ao campo neste domingo.

Os torcedores contaram com a preleção do técnico campeão mundial, Valdir Espinosa, e do ex-jogador China. Os “atletas” entraram no vestiário e foram recebidos com um kit com os uniformes. Fardaram-se nos armários dos jogadores profissionais e depois ouviram as palavras dos ídolos. Depois, são alongados e assistem a um vídeo motivacional. No túnel, caixas de som simulam um estádio lotado. Escutam o hino gremista, perfilados, e ouvem seus nomes falados pelo locutor do estádio. Outro ponto relevante é que o jogo sai com os autofalantes do Olímpico com o som da Geral do Grêmio.

- Nada melhor do que a torcida, que sempre lotou o Monumental, poder fazer sua despedida jogando no gramado principal – comentou o associado Daniel Corrêa ao site do clube.

A corneta ao rival também não foi esquecida. Após a marcação de um gol no gramado do Olímpico, o time tricolor sentou ao gramado e imitou Kidiaba, o goleiro do Mazembe, do Congo, que venceu o Internacional na semifinal do Mundial de 2010.

Os torcedores pagaram entre R$ 795(sócios) e R$ 950 (não sócios) para atuar no estádio, palco de grandes títulos gremistas como o Brasileirão de 96. Cada equipe disputa uma partida de 30 minutos no campo.