icons.title signature.placeholder Frederico Ribeiro
icons.title signature.placeholder Frederico Ribeiro
17/07/2013
15:59

Joao Alberto veio para Assunção acompanhar o Atlético-MG e mal sabia ele que iria virar amigo de um torcedor do Olimpia. O atleticano acabou 'contratando' Maurício Torbez para ser seu condutor de taxo pelas ruas da capital paraguaia. Com um convívio harmonioso, os dois mostram suas paixões pelos clubes e o brasileiro está mais confiante.

- O Atlético vai ganhar aqui e lá. Vai ser dois a zero para o Galo hoje (quarta) - disse o torcedor alvinegro.

Já Maurício, com toda a paciência de um bom taxista, começou a se preocupar com a força do Atlético-MG, de Ronaldinho, mesmo que o Olimpia não tenha perdido nenhum jogo da Libertadores em casa.

- Olimpia é muito forte no Defensores. Mas acho que vai ser complicadíssimo. E tem o jogo de volta no Brasil. Eles mudaram de estádio não foi? Pois é, vai ser uma batalha dura - disse o condutor, que foi observado atentamente por João, que lhe interrompeu para dizer:

- Continua falando, continua falando, o sorriso do meu rosto continua aqui. Já me arrancou 'mucha plata' hein? - completou.

Piada e provacações de um lado e do outro fortaleceram a união entre brasileiros e paraguaios. A tarde desta quarta-feira, horas antes da partida, pintou as ruas de Assunção de preto e branco. Vários carros carregam a bandeira do Olimpia presa no porta-mala.

Joao Alberto veio para Assunção acompanhar o Atlético-MG e mal sabia ele que iria virar amigo de um torcedor do Olimpia. O atleticano acabou 'contratando' Maurício Torbez para ser seu condutor de taxo pelas ruas da capital paraguaia. Com um convívio harmonioso, os dois mostram suas paixões pelos clubes e o brasileiro está mais confiante.

- O Atlético vai ganhar aqui e lá. Vai ser dois a zero para o Galo hoje (quarta) - disse o torcedor alvinegro.

Já Maurício, com toda a paciência de um bom taxista, começou a se preocupar com a força do Atlético-MG, de Ronaldinho, mesmo que o Olimpia não tenha perdido nenhum jogo da Libertadores em casa.

- Olimpia é muito forte no Defensores. Mas acho que vai ser complicadíssimo. E tem o jogo de volta no Brasil. Eles mudaram de estádio não foi? Pois é, vai ser uma batalha dura - disse o condutor, que foi observado atentamente por João, que lhe interrompeu para dizer:

- Continua falando, continua falando, o sorriso do meu rosto continua aqui. Já me arrancou 'mucha plata' hein? - completou.

Piada e provacações de um lado e do outro fortaleceram a união entre brasileiros e paraguaios. A tarde desta quarta-feira, horas antes da partida, pintou as ruas de Assunção de preto e branco. Vários carros carregam a bandeira do Olimpia presa no porta-mala.