icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
04/07/2014
11:45

Que os selfies estão na moda todo mundo já sabe. Mas o que poucos imaginam é que tem gente disposta a bater recordes com os retratos tirados por meio do celular. O jovem Pedro de Camargo Igual, de 16 anos, faz parte da geração antenada em tecnologia e aproveita a presença da seleção francesa em Ribeirão Preto, para colecionar retratos com os jogadores. Ele já tem 14 fotos e quer chegar aos 24 selfies com os Bleus. Um álbum digital personalizado, de dar inveja a qualquer tiete.

- Posso dizer que sim, pois depois de conseguir essas fotos com os jogadores e técnico, notei que não é uma coisa tão difícil de se alcançar, basta irmos atrás e contar com a disposição dos jogadores - disse o torcedor.

Na segunda-feira ele conseguiu uma foto abraçado ao técnico Didier Deschamps na saída do treino no Estádio Santa Cruz.

- Esse foi fácil. O Deschamps estava acessível - conta, orgulhoso, apesar de ainda não ter conseguido foto com o astro do time.


Pedro quer selfies com todos os jogadores da França (Foto: Arquivo Pessoal)

- Por incrível que pareça, a selfie mais difícil até o momento é a do Karim Benzema. Nos três treinos em que consegui a foto dos outros jogadores, ele sempre passava perto de mim e nunca consegui pará-lo, embora ele esteja sendo muito atencioso com os torcedores. Já dos que não vão muito ao público, a mais difícil é a do zagueiro Raphael Varane que, pelo menos em todos os treinos em que eu fui, nunca o vi dando autógrafo ou tirando foto - relata.

As fotos começaram a ser tiradas na primeira semana dos Bleus na cidade. Na porta do centro de imprensa, no Theatro Pedro II, em Ribeirão, e no Estádio Santa Cruz. Sempre depois dos treinos, quando os jogadores ao invés de entrarem no ônibus atendem aos pedidos, sempre aos gritos.

- A partir do momento em que consegui minhas primeiras fotos com os jogadores, notei que não era tão difícil pois elas dependem única e exclusivamente de nós, da nossa vontade de ir atrás e a cada foto conseguida, maior era a minha vontade de ir e conseguir a foto com os outros. Sabia que não seria fácil, mas como um bom brasileiro, fui persistente e deu certo - sorri.

Pedro vai torcer para que a França derrote a Alemanha para que suas chances de completar seu "álbum digital" aumentem. Nesse caso os Bleus ficarão até o fim do mundial no interior de São Paulo (mesmo se perderem a semifinal, disputariam terceiro lugar no dia 12).

Na coleção de Pedro ainda faltam Mavuba, Sagna, Varane, Benzema, Remy, Cabella, Sissoko, Pogba, Rufier e Digne. Nomes que ele conhece como se fosse um autêntico francês. Não é à toa, pois nessas três semanas já se familiarizou com o rosto dos Bleus. Embora de vez em quando confunda Sahko, com Pogba. Disposição para seguir buscando as fotos que faltam ele garante que terá. E já elegeu a mais valiosa para a sua lista.

- Eu acho que a que não pode faltar é a do Benzema. Não tenho um grande motivo para explicar, mas acho que o fato dele jogar no Real Madrid, time que eu gosto desde pequeno, influencie no fato de querer a foto. Já vim quatro vezes de Sertãozinho até Ribeirão e vou voltar até conseguir - disse o torcedor.

Pedro já sabe o que vai fazer com as fotos, além de postar nas redes sociais.

- Pretendo guardar as fotos para sempre, seja no computador, seja em porta-retratos. Mas pretendo mesmo fazer uma quadro com todas as fotos que eu consegui - disse.

Para isso fará figa para a Alemanha não estragar a sua missão mandando os franceses mais cedo para casa.